sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Estupre-me por favor

A Alemanha está sendo estuprada - por muçulmanos, e pela Merkel, que já avisou que não quer impor limites ao número de estupradores, digo, refugiados muçulmanos que vai acolher. Nossa, mais ainda?

Algumas pessoas protestaram contra os estupros. Curiosamente, porém, o protesto não foi contra a imigração ou os muçulmanos, mas sim contra o "patriarcado". Alguns até tinham cartazes "contra o sexismo e contra o racismo".

Uma suposta artista até protestou nua sob um frio de zero graus. Mas seu protesto era tolo, ao estilo da marcha das vadias. Nunca entendi esses protestos nus. Ver mulheres nuas, em geral, só aumenta os desejos sexuais dos selvagens. Não faria mais sentido protestar contra a imigração de indesejáveis?

Vamos admitir, os lugares mais seguros do planeta para mulheres brancas é entre homens brancos. Não é que brancos não estuprem, tem alguns que estupram, sim. Tem pedófilos brancos, serial killers brancos. Sem dúvida há também estupradores brancos! Mas na média, são raros. O estupro e o assédio sexual é mais comum entre as raças não-brancas e não-asiáticas, pode apostar. (Ou nem aposte, basta ver a Wikipedia, no Japão há 1 estupro para cada 100,000 habitantes, na África do Sul, 132.)   

É a segunda vez que a Alemanha está sendo estuprada. A outra vez foi pelas tropas soviéticas no pós-guerra, em um crime quase esquecido (mas tem um bom filme alemão recente sobre isso, "Uma mulher em Berlim"). Mas tá, estamos falando de guerra. Numa guerra, até os relativamente assexuados japoneses podem estuprar em massa, como realmente fizeram com chinesas e coreanas na Segunda Guerra Mundial.

Em tempo de paz, no entanto, o melhor lugar para uma mulher andar pela rua "vestida como quiser" é mesmo em um país branco (ou no Japão). Ou imaginem esta branquela abaixo protestando pelada na Praça Tahrir do Egito. Nossa, provavelmente estuprariam até as orelhas da coitadinha. 

Se as feministas branquelas não querem assédio, pela lógica deveriam torcer pela supremacia branca e pelo fim da imigração.

Bem, mas quem disse que mulheres seguem a lógica? 


31 comentários:

Fábio Peres disse...

Quando o Brasil aceitou imigrantes vindos de boa parte do mundo para ]substituir a mão-de-obra escrava (cada vez mais cara e ineficiente) meio que impôs condições para isso. A maioria dos que vinham para cá eram gente com contratos pré-assinados, dispostas a trabalhar, ordeiros e, principalmente, com família - homens, mulheres e crianças.

Se é casado o pateta não fica inventando de bolinar a mulher dos outros, qualquer que seja a sua religião. Se tem filhos, o pai ou a mãe se encarrega de "disciplinar" o rebelde.

Talvez por isso nossos imigrantes serviram para transformar o Brasil em um país melhor do que ele era antes - ao contrário do caso triste dos "bonzinhos" alemães.

direita disse...

O amor é lindo...
Fiquei ate com lagrimas nos olhos.


https://m.youtube.com/watch?v=N8DMGaeDXE4

Mr X disse...

O Brasil não aceitou imigrantes de "boa parte do mundo", trouxe especificamente alemães e italianos e, depois, japoneses.

Sim, se a pessoa vem com família é melhor, pois não procurará a mulher dos outros (e um problema desta nova leva de "refugiados" é serem em sua maioria de sexo masculino, e duvido que isso tenha sido uma coincidência), mas não é o único problema. Trazer africanos, latinos ou muçulmanos, mesmo que com famílias, é criar problemas desnecessários.

Vamos falar sério? É uma questão de territorialidade, mesmo. Cada tribo ocupa um território específico, ou, se não, tem briga.

Nossa, até os índios da Amazônia entendem isso, por que é tão difícil para o branco europeu médio compreender?

Sabedor disse...

Vc deveria ter postado aquela foto ''welcome rapists'', kkkkk (sim, é uma risada de ''mongoloide'', dane-se, kkkkkkkkkkkk)

Os judeus tem razão que ''os'' brancos sejam em média menos astutos que eles, astúcia seria o que, a inteligencia que importa pra sobrevivencia**

Engraçado que os mentirosos patológicos tendem a pontuar alto em qi verbal em comparação ao performance ou ''inteligencia geral''. Qual é a população que tem um perfil cognitivo bem parecido***

Santoculto disse...

Procure pela revista Epoca, opinião a favor e contra a iminvasão...

Um ''especialista'' hippieocrático de olhos azuis e que poderia interpretar o sobrinho ''judeu' de ''Jesus'' no cinema, é quem ''opina'' favoravelmente. Segundo ele, ''serão anos duros de adaptação e que algumas pessoas ficarão desorientadas''... mas será positivo.

é como se colocássem o meu irmão esquerdo ''de'' qi alto (burro que nem uma porta... não, melhor, nem isso, porque a porta não teima com vc sobre obviedades) em um cargo de importancia, receita perfeita para o desastre.

Os academicos americanos continuam predominantemente ''liberais'' em termos políticos, se bobear ainda encontraremos muitos que são fanaticamente pró-Obama.

Onde está a inteligencia dessas pessoas** e dos professores franceses** Apenas 9% deles votarão no partido da Marine!!

Gente,
não estamos discutindo física quantica ou a origem da vida... é bem basicão mesmo.

O ser humano mais parece ser como os outros animais,

''está adaptado'' a um certo ambiente, o ambiente muda, ele não muda como reciprocidade e se bobear perecerá, de uma maneira ou de outra, de maneira direta pela morte, ou indireta, pela submissão de outros, mais coesos e objetivos.

parece que é necessário ser um pouco ying e yang pra se adaptar a qualquer ambiente ou ao menos ter consciencia de um certo potencial.

Mr X disse...

Nova piadinha do Charlie Hebdo não caiu bem:

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2016/01/17/pai-do-menino-sirio-afogado-chora-ao-ver-charge-no-charlie-hebdo.htm

Michel disse...

oq acha deste video mr x?

https://www.facebook.com/antonio.toni.188/videos/730119630423660/?fref=nf

essa mulher poderia reclamar de estupro?

AF disse...

E os argumentos usados pelos esquerdistas para defender a imigração chegam a ser pasmos. Um dos mais usados é: “Ái gente, os Estados Unidos e vários outros países foram construídos por imigrantes! Vamos aceitá-los, tadinhos! O Trump e os extrema-direita estão errados em querer banir os muçulmanos por causa disso!! Mimimi...

Será que quem diz isso não percebe que há uma ENORME diferente entre um imigrante europeu e um muçulmano???

Esse “argumento” mostra o quanto o mal da igualdade contamina as pessoas e as impede de raciocinar algo simples que é a diferença entre um europeu e toda sua história e valores e um muçulmano.

Isso lembra esses imbecis que querem legalizar as drogas, comparando, acredite, outras “drogas” como um chocolatezinho ou um chazinho com maconha ou crack: https://www.facebook.com/bolsonarozuero3.0/photos/a.751080868241893.1073741828.751020531581260/1246444212038887/

Andre Bossard disse...

Infelizmente não é só a Alemanha... Aqui na Suíça também aconteceu (e está acontecendo). Só não é noticiado e, quando é, é só uma notinha no pé da página. A imprensa (sempre de esquerda) não quer criar ou alimentar o clima de animosidade contra os pobrezinhos dos imigrantes... afinal eles são as vítimas nessa história e não nós... pobre Europa...

DD disse...

Ninguém vai à raiz do problema: a baixíssima natalidade dos europeus. Eles podem espernear à vontade, mas, se não voltarem a ter filhos em quantidade razoável, precisarão, sim, terceirizar a tarefa e recorrer a imigrantes que a cumpram. A moça da foto claramente não têm filhos nem pretende tê-los, visto que desejou aparecer nua para o mundo todo ver. Esse tipo de reação, a do feminismo tresloucado e niilista, é muito diferente, por exemplo, daquilo que se viu na Índia uns anos atrás, quando milhares e milhares de mulheres de família, não raro acompanhadas de homens indignados, foram às ruas protestar contra os estupros coletivos. Cadê a sociedade alemã, que não se manifesta?

A submissão é mesmo quase total. Houellebecq é um visionário.

Mr X disse...

"se não voltarem a ter filhos em quantidade razoável, precisarão, sim, terceirizar a tarefa e recorrer a imigrantes que a cumpram."

A baixa natalidade só é um grave problema quando combinada com porteiras abertas para a imigração e welfare state. Essa é a trifecta que mata.

O Japão tem baixa natalidade mas até que está indo razoavelmente bem. Sim, terá menos habitantes no futuro, mas talvez seja melhor ter mais espaço por lá.

A sociedade alemã está se manifestando através do PEGIDA, mas, para a grande mídia, querer proteger suas famílias é "ódio":

http://www.spiegel.de/international/germany/a-1059357.html

Mr X disse...

Pesquisei, a moça da foto é uma "artista da performance" suiça que mora na Alemanha, não tem mesmo filhos mas tem um parceiro também "artista", portanto ainda é possível que venham a produzir algum outro arteiro no futuro:

http://www.milomoire.com/?page_id=1553

Bem, bem, não é nessas pessoas nas quais a Europa deve confiar o futuro de sua reprodução. Artistas e pessoas com muito estudo tem poucos filhos, é sabido.

DD disse...

A moça não TEM filhos, etc.

Mr X disse...

Ah sim, esse circunflexo.

Aqui uma outra "artista performática da nudez" que acaba de ser presa, não, tampouco tem filhos pelo que parece, é a vida:

http://oglobo.globo.com/cultura/artes-visuais/artista-performatica-presa-por-posar-nua-em-museu-de-paris-18496513

Será que estariam certos os talibãs, ao proibir a educação de meninas e casá-las aos 13 anos?

Ou podemos encontrar algum meio-termo, com relativa liberdade e educação para as mulheres, mas sem que se tornem necessariamente exibidoras de vulvas estéreis em público?

Anônimo disse...

https://pbs.twimg.com/media/CY-w2AGWwAECOax.jpg

Anônimo disse...

"Ninguém vai à raiz do problema: a baixíssima natalidade dos europeus. Eles podem espernear à vontade, mas, se não voltarem a ter filhos em quantidade razoável, precisarão, sim"

NÃO! a raiz do problema é mesmo o multirracialsimo e a consequente assimilação.

Anônimo disse...

E que os iditoas anti UE teem a falar sobre esse ocorrido NA Suiça? - sim ,porque pra essa gente a invasão ilegal que adentra a Europa é culpa da UE(Lembrando que a Suiça ,assim como Russia e Noruega não fazem parte da UE)

Anônimo disse...

A sociedade alemã está se manifestando através do PEGIDA, mas, para a grande mídia, querer proteger suas famílias é "ódio":

Falsa oposição ,assim como Ukip,PVV ,FN, geration identitaire , FPO , UDC. Todos defendem o multirracialismo e consequente assimilação ,promove a islamohesteria e apoiar Israel é do que se trata .



http://www.udc-valais.ch/wp-content/uploads/070706Grutli_2.jpg

Barbs disse...

DD disse: "Ninguém vai à raiz do problema: a baixíssima natalidade dos europeus. Eles podem espernear à vontade, mas, se não voltarem a ter filhos em quantidade razoável, precisarão, sim, terceirizar a tarefa e recorrer a imigrantes que a cumpram. "

Bobagem. Concordo que os europeus deveriam manter a natalidade alta, mas seu argumento não condiz com a verdade, não de todo. Se você pesquisar sem preconceitos, vai ver que as taxas de fertilidade, por exemplo, dos países escandinavos são relativamente altas para o padrão europeu atual. Pesquise mais um pouco e descobrirá com surpresa que esta natalidade alta é dos nativos, e não dos imigrantes. Aliás, a Escandinavia surpreendentemente está conseguindo controlar a fertilidade dos "seus", diferente do resto do continente e da anglofesra. Não recordo agora o nome da província da Suécia em que a taxa de fertilidade da classe média nativa é em torno de 3,0 filhos por família.

E apesar da alta tecnologia e da população jovem (em comparação), são eles que mais recebem imigrantes per capita em todo o Ocidente. Então será mesmo a natalidade o problema?

Irã é um país muito mais conservador, de longe, que os europeus, no entanto sua natalidade média também é baixa. E pelo que eu sei, não estão precisando urgentemente de invasores, quero dizer, imigrantes. Isso é papo furado.

Mr X disse...

Se o multiculturalismo fosse real e global mesmo, teríamos multidões de brancos europeus se mudando para China, África, Oriente Médio, etc. Como não é, temos que aventurar a hipótese que seja uma tentativa de diluir os países brancos europeus, e só eles.

Porém, nada disso importa.

Ter filhos é para os jovens e idealistas. Para os que ainda têm esperança no coração.

Para os que acreditam. Em Deus, ou em algo.

De qualquer forma, é tolice pensar em ter filhos para "salvar o povo branco" ou qualquer outro motivo social ou cultural.

Têm-se ou deixa-se de tê-los por outros motivos que nem vêm ao caso.

Um comentarista no Sailer disse que quem mais reclama desse negócio de imigração e fim da raça branca são solteiros ou pessoas sem filhos, enquanto que aqueles casados e com filhos estão andando e defecando para isso. Ele tem razão, mas por quê?

Acredito que seja que é porque no fundo está todo mundo se lixando para a tal "sociedade" a "nação" ou mesmo a "raça branca", só quer passar adiante seus próprios genes, do jeito que for, e a sociedade que se exploda.

Quem se preocupa com este negócio de imigração e tal, são literalmente os losers.

No mais, o futuro é negro.

Digo metaforicamente, mas talvez também literalmente.

Adeus.

Mr X disse...

Bárbara está errada!!!!

DD disse...

Bem, o Irã é fechado, a Europa é aberta. O Irã vive sob uma teocracia, numa realidade meio distópica, mas ali há uma classe média razoavelmente desenvolvida, com mulheres que estudam e trabalham. (Mesmo na zona rural, parece que as mulheres não são tão desrespeitadas quanto nos domínios em que vige o sunismo.) É óbvio que não vão querer ter muitos filhos numa situação assim. Mas, e na Europa, as coisas estão tão ruins a ponto de os casais se sentirem desestimulados a ter filhos? Parece que a baixa natalidade nos países europeus provém de outros motivos. Um estudo talvez nos esclarecesse quanto a eles. Assim de longe, imaginamos que a alta carga tributária, os apelos consumistas, o distanciamento que os jovens são estimulados a manter dos pais, a desmoralização da família, o feminismo agressivo, o culto contemporâneo da adolescência, as armadilhas do extremismo político, a invasão da tecnologia nos domínios da intimidade e o hedonismo tenham algo a ver com esse tipo de decisão. Todos esses são aspectos detestáveis da vida contemporânea, mas o fato é que, apesar deles, crianças continuam a nascer. Pode ser, também, que essa visão não passe de caricatura. No fundo, não sabemos.

Você tem razão, Bárbara, tem havido uma ligeira recuperação nas taxas de natalidade nos países europeus nos últimos anos. Mas a coisa está longe de ser alvissareira. Nesses lugares há sistemas estatais de pensão, que não vão conseguir sobreviver com a média de 1,4 criança/mulher da Áustria ou mesmo de 1,9 da Suécia. Em vista disso, há quem imagine que trazer imigrantes para viabilizar o statu quo econômico seja uma solução. Sabemos que é um pretexto, e que há outras intenções por trás da doutrina das "portas abertas".

Mas há um outro ponto: vale a pena lamentar-se pelo fim de povos e civilizações que parecem simplesmente ter desistido?

Mr X disse...

Acho que o principal motivo para não se ter filhos é o econômico, um filho custa cada vez mais caro para a classe média que tem que pagar creche, escola, universidade, etc. O pobre não tem esse problema, onde come um comem dois.

O outro problema é o feminismo, mulheres independentes e com muito estudo tem menos tempo e desejo de ter filhos, além do feminismo ter prejudicado as relações em geral, simples assim.

O terceiro problema é religioso, religiosos sempre tem mais filhos do que ateus. Pra ter filhos neste mundo insano, só crendo.

Não, Bárbara não está de todo errada, brincadeira. Espero que ela tenha filhos, todos loiros e bonitos.

Abs.

Barbs disse...

DD disse: "Mas há um outro ponto: vale a pena lamentar-se pelo fim de povos e civilizações que parecem simplesmente ter desistido?"

Vale sim.

Por acaso não vale a pena tentar salvar os pandas só porque eles têm preguiça de copular? Ou por que não se quer aumentar as áreas de bambus?

Às vezes as coisas mais valiosas da vida e do mundo são as mais frágeis, e precisam de cuidado. Baratas e ratos não estão ameaçados de extinção.

Do contrário, o que não é desistir nestes termos? Viver como muçulmanos e chineses? Não, muito obrigado. Prefiro estar em decadência junto do Ocidente. Não é o ideal, mas é mais suportável. Não serei hipócrita.

Mr X: "Bárbara está errada!!!!"

Em que? Meu ponto é simplesmente um contra-argumento ao que DD disse, dos ocidentais precisarem de imigrantes porque quase não têm filhos. Você mesmo exemplificou o Japão.


DD disse...

Perguntei se valia a pena lamentar-se, não se valia a pena lutar ou resistir. (Eu acho que a coisa é irreversível, mas, enfim, é só um palpite.) E não cheguei a dizer que a imigração se justifica pela baixa natalidade europeia (não trabalho no alto comissariado da UE), mas que acho que os imigrantes não têm culpa por tais taxas. E que elas são, sim, um problema porque acabam dando munição aos que querem simplesmente encher a Europa de populações estranhas.

Mas você está certíssima no que diz: é preciso não deixar-se levar, etc.

andré azevedo disse...

Tem um aspecto nesta questão das taxas de natalidade dos europeus nativos vs imigrantes: mesmo se comprarmos a fantasiosa idéia de que os imigrantes tem uma média de 3 a 4 filhos para mais, dadas as condições sociais a que eles naturalmente são relegados...muito provavelmente uma mãe muçulmana ou africana terá uns 5 filhos e somente 1 ou 2 irão viver uma vida digamos assim normal......os outros ou morrerão nas mãos da polícia e/ou criminosos ou através das drogas, isso quando não terminarem seus dias na cadeia. Basta ver o exemplo das populações marginalizadas do Brasil e EUA.

Mr X disse...

André,

Pois então, a alta natalidade deles não resolve, só piora. Será que Alemanha, França, Inglaterra querem mesmo tanto imitar os EUA ao ponto de importar uma minoria encrenqueira e perenemente marginalizada?

Epa, no caso da Inglaterra, já aconteceu:

http://www.dailymail.co.uk/news/article-3408364/Violent-father-beat-primary-school-teaching-assistant-revenge-attack-told-son-fighting-playground-avoids-jail.html

Pai violento negro, estudante relapso negro, professora negra. A juíza incompetente que o liberou é uma pakistana.

É a vida!!

andré azevedo disse...

Mr. X

Acredito ser muito pouco provável que os europeus nativos se tornem minoritários em seus países nas próximas décadas, pelas razões que mostrei acima. O que acho mais factível é que as sociedades européias ocidentais tenham de conviver com estas minorias barulhentas e encrenqueiras.
Por outro lado essa nova situação deve gerar emprego para a polícia, promotores públicos, juízes criminais, advogados, repórteres policiais, programas à la Cidade Alerta e Brasil Urgente........alguém deve se beneficiar dessa imigração em massa.....

Anônimo disse...

barbara ,da onde tu tirou essa informaçao da natalidade dos nordicos?

Anônimo disse...

em que mundo tu vivive ,azevedo? o aumento de nao brancos em paise como inglaterra,holanda e belgica se deve,acima de tudo, a multiplicaćao dos invasores que lá já estao e nao a chegada de novos invasores.

a belgica tem 25% da populaçao com origem imigrante . a frança 30%. a populaçao londrina é 80% de origem imigrante . os brancos ja sao minoria em diversas cidades e regiões europeias,sao fatos ,nao sao exageros.

Barbs disse...

Direita, você fala a respeito da fertilidade dos imigrantes ter sido reduzida abaixo dos nativos ou sobre a fertilidade da classe média? Bem, sobre os imigrantes, acho que você pode encontrar em alguns sites HBD por aí, ou outros esclarecedores. Se não diminuiu em todos, pelo menos caiu para o mesmo número. O problema principal deles é a entrada contínua.

Especificamente sobre a classe média e a fertilidade de 3,0, eu li num texto de um sueco, não o tenho agora, mas vou procurar e coloco aqui no blog, no post mais recente.