sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Você é um escravo

Você é um escravo. Mas, ao contrário dos escravos anteriores, você nem sabe disso. Hipnotizado pelas mídias sociais, até acredita que tenha uma boa vida.

Você é um escravo das corporações. Trabalha de 8 a 12 horas por dia durante anos em um cubículo para enriquecer um CEO, sempre com medo de ser demitido a qualquer momento. "It's the economy, stupid". 

Você é um escravo do governo, pagando impostos do nascimento à morte para financiar todos os delírios de burocratas ávidos por destruição. Eles não precisam se preocupar com estabilidade do emprego! Salvo talvez quando tem eleições, e ainda assim, nem sempre: governo vai, governo vem, mas os burocratas permanecem os mesmos.

Você vê o seu entorno ficar cada vez mais cheio de criminosos, vagabundos, drogados, loucos, terroristas, corruptos, artistas da enganação. O grafitti na parede da sua casa, o fedor de urina na sua porta, as latinhas de cerveja e camisinhas jogadas no seu jardim! Calma, é apenas a vibrante diversidade, a juventude tresloucada, você também já passou por isso, aceite o futuro.

Por que não vai lá e compra uma pizza? Isso, aquela mesma pizza oleosa preparada e servida pela muçulmana de burka, grande conhecedora das tradições culinárias itálicas ancestrais. Que delícia, por Alá!

Porém, cuidado para não ser assaltado no caminho de volta por aquele "de menor" que nem esquentou o banco da delegacia. Seja simpático e entregue todos os seus pertences, e talvez ele não mate você.  

Lembre-se que você não pode nem reclamar das mudanças que vê ao redor: seria "racismo", "sexismo", "antisemitismo", ou outros ismos. Psiu! Melhor ficar calado, ou você poderia perder seu emprego, esse mesmo que enriquece CEOs e ajuda a pagar o aluguel da imigrante ilegal com sete filhos e papai na cadeia. 


Você não tem voto nem voz. Você faz o que a elite mandar. Melhor assim, não é mesmo? Menos incomodação. E, no mais, eles chegaram lá no topo pelo trabalho árduo, não é mesmo? Um dia você chega lá, também. Acredite!

Mas isso ainda é pouco. Hoje você, escravo voluntário, limita-se a postar toda a sua informação pessoal na Rede para que seja acessada por governos e corporações. Sua vida não pertence mais a você, mas, legalmente, ao Google e ao Facebook (você não leu as pequenas linhas, não é?).

Console-se: o escravo do futuro será pior: nem seu corpo ou mente lhe pertencerão mais.

Você achou que a moda por piercings e tatuagens era apenas uma escolha estética de mau gosto? Você achou que a moda de apetrechos eletrônicos cada vez mais presentes como acessórios "inteligentes" da vestimenta eram um erro fadado ao esquecimento?

Não, meu caro. O plano é mais sinistro. A crescente modificação corporal, somada à superexposição de aparelhos eletrônicos ao nosso redor, farão de você um escravo ainda maior. Um escravo sem escapatória.

Depois dos "óculos inteligentes" e do "relógio inteligente", teremos quem sabe os "brincos inteligentes", ou a "tatuagem inteligente", ou até um sensor instalado no ânus para monitorar a qualidade de sua matéria fecal. Hoje parecem alucinações, mas em breve você precisará desses apetrechos, você vai clamar por eles e fazer fila na chuva para comprá-los, para ser marcado como gado, afinal, todo mundo tem, o que há de mais?

Um dia... um dia, implantarão um chip no seu cérebro. Ou poderão controlá-lo a distância, através de drones. Ou seu carro inteligente auto-dirigível terá sensores que o impedirão de ir além dos limites proibidos. Tudo planejado. Tudo para o seu bem.

Quem sabe? Quem se importa? Você está feliz. Você é um cidadão de bem de uma grande cidade vibrante e cosmopolita, você tem um celular inteligente e posta sua opinião "individual" exatamente igual à de todos na Internet. 

Trabalhe, escravo, trabalhe.


9 comentários:

Santoculto disse...

Desculpe pelo que vou dizer mas de tantos textos, bem escritos, com ótimo sarcasmo mas também muito parados, este foi o melhor em, sei lá, 2 meses** Gostei, para béns!! ;) :)

''Que delícia, por Alá!''

- Inês Brasil

AF disse...

kkkkk

Tudo isso 'no passará' e nós escravos teremos a liberdade um dia!

Ricardo DA SILVA LIMA disse...

Sabe, Mr X, quanto a esta questão da tecnologia, eu estou, digamos, em uma encruzilhada:

# Quanto a celulares, não tenho um smartphone (o meu celular é um simples samsung GTE-2232 :p), e, sinceramente, pretendo não ter um até 2016 (ou 2017, quem sabe);
# Quanto a redes sociais, somente o facebook, e tentando diminuir a quantidade de horas gastas nele (estou tentando acessá-lo somente aos fins de semana, e olhe lá);

A questão da liberdade é sempre relativa: eu tenho liberdade em relação a que, ou a quem? Penso que é a mesma situação da pessoa que se aproxima de mim e diz "Estou feliz", aí eu falo "Que bom. Mas, me diga, qual o motivo de tua felicidade?".

Aí a pessoa olha "no fundo dos meus olhos" (rsrsrs) e fala "Eu não sei".

Como assim, EU NÃO SEI? Que raio de felicidade é esta que a pessoa não sabe o motivo? Penso que, com relação a liberdade, acontece um fenômeno parecido. Falamos tanto de liberdade, mas nos esquecemos da perguntinha básica: liberdade em relação A QUE? ou a QUEM?

Ah, e por falar em "não ter escolhas", a OCP manda lembranças rsrsrs.

Matheus Carvalho disse...

Mr X, gosto muito do seu blog (e' o unico que leio regularmente, na verdade), gostei ate deste texto. Mas tem alguma coisa que me incomoda no seu argumento. Minha impressao e' que estamos no melhor de todos os periodos da historia humana, e que muitos de nos nao podem reclamar muito. Nao da pra comparar o que temos hoje com o que os escravos do passado tinham. Muitos de nos podem dar muitos rumos a sua vida, principalmente quando jovens. Quando voce fica velho as opcoes necessariamente diminuem. Mas hoje ha uma multidao de carreiras que voce pode tentar seguir fazendo vestibular. Claro, quem tem QI e conta bancarias maiores tem mais escolhas. Mas nao da pra existir um mundo em que qualquer mediocre pode ser neurocirurgiao.
Podemos escolher com quem casar. Claro, nem todos podem escolher casar com uma top model, ou com o principe da inglaterra. Mas isso nunca foi possivel, nem nunca vai ser possivel. Mas compare isso com a situacao das mulheres na europa uns 200 anos atras, ou com as muculmanas de hoje.
Resumindo, porque isso da muito pano pra manga, minha vida e a de muitas pessoas hoje e' invejavel. Se existe algo apos a morte, e os fantasmas estiverem lendo seu blog, eles estarao dizendo "mais um menininho mimado do seculo xxi".
Pra mim, o que falta pra muita gente e' coragem. Ate pra mim. Eu ja fiz muita coisa que gosto, mas ha coisas que eu queria fazer e nao fiz, e que se eu morrer logo vou me arrepender de nao ter feito. Ai acho que irei para o inferno, porque imagine uma eternidade dizendo "eu podia ter feito isso, nao fiz, agora nao posso!". Pior que ser uma crianca que morreu queimada aos 6 anos, porque, pelo menos, a culpa nao foi dela, e provavelmente ela aproveitou bem sua infancia (coloco essas coisas na va esperanca de achar um consolo para esses casos tragicos).

Astor disse...

off topic

https://www.youtube.com/watch?v=KlYR1isM2o8

Mr X disse...

Olá Matheus,
"Melhor dos mundos possíveis", é? Acho que já ouvi isso antes, e não deu certo...
Sim, concordo que em termos de liberdade de escolha estamos aparentemente numa época áurea, mas a liberdade também pode ser uma prisão.
Eu não sei como era a vida anteriormente, mas, acho que sempre o que se ganha de um lado se perde do outro. Era bem mais difícil antes, sem toda esta tecnologia, isso é verdade. E também é verdade que, em especial nos países mais desenvolvidos, se tem uma grande possibilidade em termos de profissão.

De qualquer forma, a principal condição humana acho que é mesmo a insatisfação. Estaremos sempre insatisfeitos, mesmo que realizemos todos nossos sonhos. Seja no nível coletivo, seja no individual. É como somos. É algo impossível de resolver. O homem é um animal eternamente insatisfeito, eis minha definição.

Abs.

Mr X disse...

Valeu, Astor. Camille Paglia é muito inteligente. E portanto não teve filhos (só um adotado, de sua ex-parceira lésbica)

Anônimo disse...

http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/china-poe-fim-a-politica-do-filho-unico-e-libera-casais-a-terem-dois-filhos

http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/mulher-saudita-decepa-a-mao-de-empregada-domestica-que-reclamou-de-maus-tratos

Mr X disse...

Tem mais esta também:

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/deputados-e-senadores-poderao-andar-armados-aprova-comissao-03thtsl3okcb52x2d0qkubool

Eles podem andar armados, mas você não. É meu caro, e você ainda acha que é livre?