quinta-feira, 22 de outubro de 2015

A Democracia falhou?

Estou lendo um livro chamado "Democracia, o Deus que falhou". É de 2001, escrito por um libertário da escola austríaca, Hans-Hermann Hoppe. Tem em pdf gratuito em inglês, ou então versão em português em livro impresso custando meros 52 reais.

Hans-Herman Hoppe não é nenhum reacionário monarquista, mas um ultra-libertário, porém, pelo que parece, puxando mais para socialmente conservador. Nasceu na Alemanha, ensinou e morou por anos nos EUA como discípulo de Murray Rothbard (o maior nome da tal "escola austríaca") e hoje, curiosamente, mora em Istanbul. Por quê, não sei.  

O argumento do livro é que as democracias modernas são um fracasso e que são a principal razão pela maioria dos problemas sociais de hoje em dia no mundo, incluindo a imigração.  

Uma coisa que achei interessante é que Hoppe argumenta que a decadência ocidental começou após a guerra de 1914, e não por coincidência, sendo que esta significou na prática o fim do regime monarquista nos países europeus, e o triunfo da democracia globalizante americana sobre o mundo.

No livro, Hoppe compara monarquias com democracias e - embora discorde de ambas e prefira um tipo de anarco-capitalismo sem Estado - acredita que a monarquia seja menos nociva do que a democracia, e - ao contrário das aparências - menos tirânica para o cidadão comum.

Isso ocorreria porque o monarca é na prática o "proprietário" do país, e tem então interesse na sua melhora contínua: um estado mais rico e poderoso é mais riqueza e poder para ele também. Já o líder democrático não é dono de coisa alguma, e tem interesse apenas em duas coisas: maximizar o número de votantes (que lhe dão poder em curto prazo), e maximizar o seu lucro enquanto puder (curto prazo também). 

Ainda não li tudo, mas concordo bastante com Hoppe por enquanto. A democracia moderna é um lixo. Políticos são basicamente prostitutas e só se interessam pelo cidadão enquanto eleitor, porém, uma vez que estão no poder, não tem por quê agradá-los, já que o que conta de verdade para o político é quem paga - os lobbys, os banqueiros, os grandes empresários, e todos aqueles que tem dinheiro para colocar os políticos no bolso. O cidadão só interessa ao político na hora das eleições, e, ainda assim, parcialmente.

Ocorre que um votante é igual a outro. O voto do analfabeto é igual ao do crânio super-inteligente com três PhDs (não que isso seja vantagem, o crânio com três Phds tem mais chance de ser um esquerdista louco do que o pobretão, que ainda poderá manter seu bom senso).  Porém, o que é mais fácil, convencer as pessoas a votar em um certo tipo de governo de forma inteligente, ou dar sacos de farinha para pobres e aleijados?

A imigração de pessoas estúpidas de todas as espécies tem a vantagem para o político de que estes são mais facilmente transformados em eleitores facilmente manipuláveis.

Hoppe, no livro, discute ainda o uso do termo "livre imigração" e utiliza o termo "integração forçada", que é o que realmente está ocorrendo: a principal característica da imigração massiva atual não é de fato a liberdade de movimento (eu não posso mudar-me para a Suécia, por mais que queira), mas a proibição por parte de regiões, estados, cidades ou até mesmo pessoas em suas propriedades privadas de admitirem no seu entorno apenas quem quiserem, em vez de ser obrigados por lei a conviver com turcos, otomanos, negros, chineses, judeus, etc.

A democracia atual é ainda por cima extremamente fútil e está acabando com a maioria dos países ocidentais. Vejam por exemplo o recém-eleito primeiro ministro canadense: suas principais promessas de campanha eram "receber maior número de imigrantes sírios" e "legalizar a marihuana". Foi eleito por ampla maioria.

Hoppe não fala, ou acho que não fala, sobre o voto feminino, mas tenho para mim que foi também uma das causas da decadência das democracias modernas. O tal primeiro-ministro canadense foi eleito, entre outras razões, por ser "jovem e bonito", e por prometer mais bem-estar social, que ajuda principalmente mães solteiras.

(De qualquer forma, tenho nulo conhecimento sobre a política canadense e portanto pode ser que o suposto "conservador" fosse ainda pior - de certa forma é melhor ter esquerdistas radicais no poder do que falsos conservadores, pois ao menos mentem menos).

O fato principal é que o Ocidente começou a decair em 1914 com o surgimento das democracias liberais -- talvez o ressurgimento do Ocidente, se é que este um dia irá acontecer, ocorrerá com o fim da democracia.

Provavelmente é o que vai ocorrer de qualquer forma, pois é bem claro que grande parte dos atuais países ditos ocidentais se desintegrarão em linhas étnicas ou religiosas num futuro não muito distante, e que governos autoritários ressurgirão.

O problema é, como já falei em algum outro momento, que a democracia não é nem mesmo o fim da linha, e nem o pior de tudo (por exemplo, era pior viver na Cortina de Ferro do que nas atuais democracias ocidentais).

Assim, não fica muito claro se os regimes que virão depois da queda da atual democracia não serão, de alguma forma, ainda piores.



Líbia antes da democracia - Líbia depois da democracia.

12 comentários:

Anônimo disse...

Parafraseando Lanza del Vasto, um discípulo ítalo-francês de Gandhi com fumos de profeta, se o bloco oriental (soviético) era uma prisão, o bloco ocidental (democrático) parece um cassino elegante e bem decorado, no qual todos resguardam as aparências comportando-se mais ou menos bem, mas onde se pede que aqueles que perderam tudo se resignem e que os suicídios sejam levados a termo do lado de fora.

Difícil discordar dele, assim como é difícil discordar de alguns pontos de Hoppe a que você deu destaque.

Michel disse...

eu sempre soube disso, sempre soube que o excesso de liberdade esta servindo apenas para mostrar que a maioria nao está pronta para a democracia, e talvez nunca estarão, mas uma certa parte da elite com toda certeza esta acelerando a degeneração com a esquerda basta ver a russia eu nunca fui fã dos russos as mulheres são tao promiscuas quanto as brasileiras(pelo que me contaram) e são um país sem religião graças as mãos dos judeus e o comunismo que estripou e estuprou milhares de mulheres e crianças

um post antigo mas interessante:
http://blog-o-sol-da-meia-noite.blogspot.com.br/2013/08/peoes-da-maldade-os-judeus-e-o-comunismo.html

Santoculto disse...

A imigração moderna ou REVERSA, do colonizado ao colonizador, é apenas parte de um plano global antigo que começou com as ''grandes navegações''.


Acreditar que o monarca quer apenas o bem e melhoria de ''sua'' nação é algo próximo do que tirar atestado de

ingênuo ou como alguns dizem, autisticamente ingênuo, que acha que tudo que parece lógico assim será

ou

de psicopata (ou qualquer outra combinação de personalidade ''ou'' estado motivado que resultar neste tipo de frieza analítica)

Os czares não pareciam muito preocupados em melhorar a sociedade que vampirizavam.... as ''famílias reais'' europeias não parecem estar muito preocupadas com o andamento potencialmente corrosivo de ''suas'' nações.

Qualquer tipo de análise que use como parâmetro os modelos sociais humanos existentes e/ou predominantes ''precisa'' por lógica principiar pela ulterior ditadura milenar que tem submetido o ser humano a estados cronologicamente estáveis de semi a escravidão aberta, isto é, o regime dos psicopatas, daqueles que por força e manipulação, lutam pelo poder.

''Líderes'' lutam pelo poder, soldados lutam para o poder.

Mas mesmo dentro destas limitações impostas, é pouco provável sugerir que uma monarquia será melhor que as ''democracias'' modernas.

E nós sabemos que além da incompetência total de certas elites, a falta de capacidade do povo também nos ajuda a entender boa parte das diferenças sócio-econômicas entre as nações do globo.

Michel disse...

e pra complementar as mulheres sao sim as maiores responsáveis pela degeneração atual seja por tolice em acreditar ou gostar de salafrários ou pela miscigenação, a verdade é uma só, foi um erro dar poderes de decisão a mulheres elas sempre escolhem o lado ruim para gostar basta ver a maior afeição q elas tem pelo filho mais problemático e errado, ja o pai prefere o filho mais centrado e correto

a verdade é uma só as mulheres sempre vão preferir as palavras doces da serpente a fabula de adão e eva é perfeita, eu sou católico nao praticante, porem nunca vou acreditar q existiram adao e eva e q um foi feito da costela do outro, porem a fabula é genial e eu levo uma coisa comigo, nao devemos nunca ser influenciados por uma mulher pois elas sempre vão cair nos contos da cobra

Anônimo disse...

A democracia é um playground dos fracos,na democracia é a única chance dos fracos chegarem ao poder,vejamos que a elite política do brasil é composta por burros,o congresso nacional parece um curral de burros,um relinchando mais alto, a monarquia é o governo dos mais fortes e capazes,vejam só o que D.Pedro II fez no Brasil em comparação com estes 25 anos de roubalheira e degeneração perpetrada por estes débil mentais que nos governam.

Michel disse...

um video pra ver como é facil manipular a sociedade provavelmente a maioria ja viu, talvez alguem ainda nao tenha visto, o video tem mais de uma hora mas o cara explica muito bem como é feita a modelagem e o tempo q se demora para aplicar, é o tempo aproximado de uma geração de crianças e adolescentes influenciados pela mídia e escola

https://www.youtube.com/watch?v=iK4kZSU-5Cg

Santoculto disse...

Hoje faltou luz aqui na minha cidade. Fomos forçados a conviver um pouco mais do que quando estamos usando nossas tecnologias mais populares, tv, celular ou internet. Tecnologia cria atomização coletiva. Isso é bom por um lado (pra mim é em muitos aspectos) e muito ruim por outro lado.

AF disse...

O curioso é que em países “democráticos” que não respeitam a tal democracia como Cuba ou Coréia do Norte, não se vê um pio da esquerda em relação ao extremo desrespeito e absurdos que acontecem, mas quando líderes de extrema esquerda são depostos, como aconteceu no Paraguai de Lugo ou na Honduras de Zelaya, a esquerda mundial pira e chora devido a isso, chegando até a querer cortar relações com países, se meter na soberania deles ou até ameaçar atacá-los. Até a Bolívia já ameaçou atacar o Brasil em caso de impeachment da presidANTA em nome da “democracia”.

Moral da história: sempre desconfie de palavras que a extrema-esquerda vive repetindo como papagaios. A palavra democracia é uma delas, assim como igualdade, fraternidade, liberdade, preconceito. Todas essas palavras parecem ser algo na teoria de um esquerdista, mas não são na prática.

Sobre a monarquia, também gosto muito dessa forma de governo e dos argumentos utilizados, mas não chego a concordar com alguns exageros de alguns monarquistas ao achar que é a solução para tudo, pois se fosse assim, as monarquias restantes europeias estariam fazendo algo para controlar a imigração e pela população desses países, mesmo assim, não se pode negar muitos dos argumentos utilizados.

Anônimo disse...

Engraçado, a Inglaterra e a Suécia são monarquias...

Ricardo DA SILVA LIMA disse...

Bom, eu penso o seguinte: no caso do Brasil, eu penso que a Monarquia "deu muito mais certo" do que a democracia.

Então, penso que, no caso do nosso país, uma monarquia parlamentarista seria o sistema ideal. Com certeza, a quantidade de dinheiro "desviado" (ou roubado mesmo) seria muito menor do que no nosso sistema atual.

Mr X disse...

Ricardo,

Arrisco-me a dizer que a democracia, ao menos como é praticada no Brasil, é bem mais corrupta do que qualquer monarquia ou ditadura.

Veja todos esses políticos, de Cunha a Lula, de todos os matizes, roubando adoidados. Por quê? Simples, ficam lá pouco tempo e tentam roubar o máximo que podem até a próxima troca de governo, ou serem descobertos.

Numa monarquia, o monarca não precisa roubar, pois tudo é de certa forma seu, e tem menos interesse que os outros roubem do país.

Anônimo disse...

Vídeo muito bom de um discurso de Hitler sobre a tal "liberdade democrática"
Segue o link (precisa ter conta no youtube para assistir) https://www.youtube.com/watch?v=3qktGqzfAcc