segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Cadê os leitores?

Onde anda Confetti? Sei que cansou de Paris, mas é Paris ou al-Paris hoje? Bons tempos os da Paris dos anos 20, então sim é que era uma festa.

Como tampouco penso em viajar para Paris por ora, quem sabe nos veremos em algum outro lugar do planeta? 

Ah! Assistam ao vídeo da filha do Brancaleone; pelo que entendo, é preciso votar no melhor projeto? Achei a idéia da etiqueta termo-sensível interessante; não conheço os concorrentes. 

Mandem lembranças ao Chesterton, onde quer que ele esteja, pois não tem aparecido. Ao Augusto positivista também, embora ele tenha sumido há bem mais tempo e tema que ele não esteja mais neste planeta. 

Aos que se interessam por hbd, visitem o blog do Santoculto, antigo Autor Desconhecido, é interessante.

Será que tem mais algum outro leitor que virou blogueiro? Podem comentar nos comentários.

Aqui... O número de leitores e comentários caiu muito desde o retorno do blog, mas é verdade que a média de posts, e a qualidade, caiu muito também. Outras preocupações na cabeça, apenas isso.

Este blog existe já há um bom tempo, mas perdeu um pouco o foco, então, estou vendo aqui de como melhor solucionar isso, enquanto ninguém me oferece uma coluna na Veja.

Pergunto aos leitores, os poucos que restam, se teriam alguma sugestão de post.

No mais, cuidem-se. 


11 comentários:

Anônimo disse...

Olá Mr. X!

Há algum tempo tenho pensado no fato de que os fatores culturais poderiam ser de algum modo determinantes para o sucesso de qualquer nação. Assim, por exemplo, a cultura americana (mais voltada para o trabalho duro e respeito rígido às leis) tenderia a fomentar o crescimento do país, e a cultura brasileira (de jeitinhos e atalhos) provocaria um efeito cascata onde o desenvolvimento da nação (a níveis de nações européias) é quase impossível.

O que pensa sobre?

Mr X disse...

Sim e não. É claro que os fatores culturais são da maior importância, e provavelmente os principais mas não os únicos. Genética, organização social, ambiente, tipo de governo, etc, todas essas outras coisas também influenciam.

Acho que o tema já foi abordado algumas vezes no blog.

AF disse...

Ah, X, tu não vai embora novamente agora não, né?

Como falei, é muito melhor ter uns 20 comentários de pessoas trocando ideias do que 200 comentários de pessoas brigando por quem é mais branco.

Busque também parcerias com outros blogs da direita aqui no Brasil e em Portugal, atualize a blog roll do seu blog, não faça muitos posts de uma vez e chegue postando tudo (porque as pessoas tendem mais a ler o primeiro post e comentar nele, do que os outros) e tenha sempre ideias novas.

Abraços.

Fábio Peres disse...

Meu blog, que sempre tive: http://trashetc.blogspot.com

Mr X disse...

Não vou embroa, estarei por aqui. Mas novos postos serão aleatórios...

confiture* disse...

I'm still around mate, ever so much...

Direita disse...

"Há algum tempo tenho pensado no fato de que os fatores culturais poderiam ser de algum modo determinantes para o sucesso de qualquer nação"

A enfase na cultura por si só não explica o porque da personalidade e comportomento de um negro brasileiro ser mais proximo ao de um negro americano do que de um nipo-brasileiro!

Julio disse...

Muito se fala em preconceito, mas implicitamente todas as pessoas adultas são preconceituosas? Inclusive pessoas que sofrem preconceito!?

Muito se fala em preconceito, mas TODAS as pessoas que sofrem preconceito dão preferência em se relacionar com pessoas que NÃO sofrem preconceito!

Anônimo disse...

Recomendo ler sobre Julien Blanc, o novo saco de pancadas dos social justice warriors e revolucionários de tumblr.

Direita disse...


Que mundo louco,né!
se essa mesma opinião fosse expressa por um politico ocidental , o mesmo teria sua carreira arruinada para todo sempre.



"o nazismo permitiu à Alemanha sair de uma situação de miséria e a levou a uma situação fantástica, do ponto de vista físico e ideológico".
"Uma juventude esfarrapada e suja se tornou uma parte disciplinada da sociedade e a Alemanha teve um regime exemplar, uma justiça de verdade e ordem pública", acrescentou.
Na entrevista, Feiglin qualificou Hitler de "gênio militar incomparável". "Hitler apreciava a boa música. Era um pintor e os nazistas não eram um bando de vadios. Somente usavam vadios e homossexuais", prosseguiu o político israelense.
Feiglin tentou suavizar em 2005 as declarações em uma entrevista ao jornal "Maariv", ao alegar que dizer que Hitler era um gênio militar "não significa que o admire".


http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2008/12/478025-politico-de-direita-israelense-elogia-a-alemanha-nazista.shtml

Gerson B disse...

Óieuaqui!

Paro de vir não.