terça-feira, 16 de setembro de 2014

Estamos todos loucos

Theodore Dalrymple disse uma vez que grande parte do objetivo da propaganda durante o comunismo soviético, bem como hoje em dia durante o politicamente correto, não era de convencer, mas apenas de humilhar: forças as pessoas a repetir mentiras absurdas, como que a coletivização funcionou, preto é branco, acima é abaixo, e dois mais dois é igual a cinco (como no romante 1984 de Orwell).

É isso mesmo, mas o objetivo é ainda maior.

No outro dia, em algum lugar no sul do Brasil, alguém teve a idéia de celebrar um casamento gay num CTG (centro de tradições gaúchas). Anunciaram o evento aos quatro ventos na mídia. Pouco depois, na calada da noite, o CTG foi incendiado por alguns descontentes.

A mídia ficou chocada. Saíram vários debates no jornal sobre a intolerância do gaúcho tradicional. Ora, mas o objetivo do evento era esse mesmo: provocar a violência. Causar conflito, acusar o tradicionalista de homofóbico. O que era o ato se não uma provocação? Os gays são apenas massa de manobra numa luta muito mais ambiciosa e mais antiga.

O objetivo do casamento gay não é nem nunca foi o de permitir que os casais gays pudessem ter uma relação socialmente aceita ou direitos legais. Isso talvez poderia ser resolvido com outras leis e outras medidas. O objetivo do casamento gay, bem como das estrambóticas "paradas do orgulho" (para quê existem essas paradas? São financiadas com dinheiro púbico, digo, público? Se o objetivo delas é afirmar que "gays são como todo mundo", porque passam justamente a imagem contrária, de que gays só pensam em sexo e em estar pelados o tempo todo?) é justamente o de dividir a sociedade e de, em última análise, causar violência, ódio e discriminação. Ou seja, justamente o contrário do que dizem querer.

Vejam aqui: depois de uma menina ser humilhada em público e ter a casa apedrejada e queimada por dizer uma palavra em um jogo de futebol, agora o Coríntians quer proibir seus torcedores de pronunciarem a palavra "bicha". Tal insulto seria "homofóbico". Ora, ninguém chama um jogador de "bicha", ou um juiz de "filho da puta", por saber algo sobre a sua orientação sexual. São insultos genéricos. Como "puta" é sexista, "bicha" é homofóbico, "macaco" é racista, e "retardado" é preconceituoso com os sofredores de Down, o que ficará? Talvez os torcedores possam chamar o odiado rival de "bobo", "chato" e "feio".

(Não que eu seja a favor de palavrões e violência nos estádios; acho tudo isso vulgar. Porém, uma coisa que também me confundiu foi o seguinte: durante a Copa do Mundo no Brasil, quando outro tipo de público encheu os estádios, vi mais de um articulista reclamando que as torcidas eram "brancas demais", "educadas demais", que eram "frias" e que não gritavam palavrão a não ser contra a Dilma.) 

Outra loucura. Agora a moda é afirmar que alguém pode "trocar de sexo". Curiosamente, por motivos que talvez a psicologia possa explicar, a maioria dessas pessoas que "trocam de sexo" são homens de meia-idade que "viram mulher". Porém, não passam a gostar de homem, ou de passar roupa e comprar sapato. Muitos nem mesmo cortam o pênis, apenas colocam seios postiços mas, estranhamente, continuam casados com mulheres. É o caso, por exemplo, de "Martine" Rothblatt, o travesti biônico bilionário de quem falei outro dia, que é casado com uma negra loira, e de "Lana" Wachowski, co-diretor da série Matrix, que é casado com uma dominatrix sadomasoquista do mundo pornô.

O objetivo é o de confundir. O objetivo é obrigar você a chamar esses malucos de "mulheres", enquanto eles riem depositando mais um bilhão no banco.

Porém, quem é mais louco? Aquele que coloca um chapéu na cabeça e diz ser Napoleão, ou aquele que acredita?

O fato é que grande parte da população está mesmo insana.

Conheço jovens nos EUA que aderiram a um movimento radical vegano-animalista. Eles vão aos restaurantes da cidade com cartazes e gritos denunciando o "especiecismo". Afirmam que os animais "são indivíduos como nós" e que "carne não é comida, é violência".

Olhem, eu gosto de animais, sou a favor que sejam bem tratados, mas isto é ridículo. Até porque um leão, um tigre ou um crocodilo faminto não vai ter remorso nenhum em comer um humano sem pensar em seus "direitos". Comer e ser comido é a lei da Natureza (e às vezes eu penso e acho isso triste: por que tem que ser assim, a vida sempre se alimentando da vida? Um ser vivo tem sempre que tirar a vida de outro para obter energia? Que Deus cruel inventou esse sistema? Não podíamos tirar energia, sei lá, do gás carbônico ou de pedras e outros objetos inanimados?)

Curiosamente, muitos dos praticantes dessa nova luta são mulheres jovens e solteiras. O leitor também terá notado isso: o veganismo e a luta pelos direitos dos animais atrai principalmente mulheres solteiras ou mal-comidas sem filhos. Talvez seja uma transferência do instinto maternal. Ou talvez seja apenas que mulheres em média são mais emocionais e mais facilmente manipuláveis.Ou talvez os homens gostem mais de carne, só isso.

Feminismo, gayzismo, especiecismo, coloque aqui seu ismo, nada disso precisa ser levado a sério por si mesmo: são, em sua maioria, meras distrações, truques de magia, ou então tem o objetivo de semear o caos social.

Digo até mais: nada impede que o que é "bacana" hoje vire ilegal amanhã; que a elite global passe a discriminar os negros e os gays quando isso for do seu interesse. A esquerda, um dia, já defendeu os "direitos do trabalhador", você acredita? Pois hoje a maioria de seus líderes partidários e apoiadores são milionários, bilionários ou até trilionários, e estão lutando pela expoliação da classe trabalhadora através de impostos, imigração massiva e baixos salários.

É por isso que eu não levo mais nada a sério. É tudo um grande teatro, e eu tenho mais o que fazer.  

Dizem que sou louco, por pensar assim.

Mais louco é quem acredita. 

Mais louco é quem me diz, que não é feliz, feliz.


16 comentários:

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Posso mesmo adicionar os meu "ismos"???? Então, lá vai: Babaquismo, imbecilismo, estrupicismo, retardadismo, maluquismo, louquismo ou porralouquismo, doidismo, debiloidismo, despiroquismo, insanismo ou insanidadismo, idiotismo, filhodaputismo.

Anônimo disse...

foda-se

Leonardo Melanino disse...

Senhor X, quero avisá-lo que, psiquiatricamente, "HOMOFOBIA" significa "medo mórbido de homossexuais ou da homossexualidade" e "HOMOFÓBICO", "portador deste medo". Semanticamente deveria ser assim: "HOMOAFETOFOBIA" ("HOMOAFETOFÓBICO"), "HOMOEROTOFOBIA" ("HOMOEROTOFÓBICO") ou "HOMOSSEXOFOBIA" ("HOMOSSEXOFÓBICO"). Seus antônimos seriam assim, em vez de "HETEROFOBIA" ("HETEROFÓBICO"): "HETEROAFETOFOBIA" ("HETEROAFETOFÓBICO"), "HETEROEROTOFOBIA" ("HETEROEROTOFÓBICO") ou "HETEROSSEXOFOBIA" ("HETEROSSEXOFÓBICO"). Agradeço-lhe de todo o meu coração! Obrigado!

Anônimo disse...

http://www.techmestre.com/mulher-consegue-permissao-para-usar-escorredor-de-macarrao-na-cabeca-em-foto-de-carteira-de-motorista-apos-afirmar-que-item-faz-parte-de-suas-crencas-religiosas.html

Rodrigo Rocha disse...

Mulher consegue permissão para usar escorredor de macarrão na cabeça em foto de carteira de motorista após afirmar que item faz parte de suas crenças religiosas

Leia mais em: http://www.techmestre.com/mulher-consegue-permissao-para-usar-escorredor-de-macarrao-na-cabeca-em-foto-de-carteira-de-motorista-apos-afirmar-que-item-faz-parte-de-suas-crencas-religiosas.html#ixzz3DaFDwfkd

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Escorredor de macarrão na cabeça???? Estamos todos doidos mesmo.

AF disse...

Há quem defenda que muitas pessoas tendem a ficar loucas ou bem confusas mesmo nesses tempos tão difíceis, pois a esquerda trás muita ignorância às pessoas, coloca muito lixo cultural na mídia e nas artes e joga muitas informações contraditórias, bem como o modo de duplipensar da esquerda. Exemplos:

-> Raças não existem, mas é necessário ações afirmativas (e única e exclusivamente para os negros);

-> Vamos ouvir e fazer a vontade do povo! Mas não vamos reduzir a maioridade penal que boa parte do povo brasileiro quer;

-> O casamento é algo ultrapassado, mas é necessário o casamento gay;

-> Homens e mulheres são iguais geneticamente, mas existe gene gay;

-> Viva a igualdade! Mas temos que ter diversidade também.

Etc...

Sobre a notícia da mulher que usou escorredor de macarrão na cabeça, é difícil saber o que passa na mente de pessoas assim, mas se há universidades dando diplomas a analfabetos que não merecem, então isso nem surpreende muito. Ela está até normal se comparada com as pessoas que tiveram essa ideia.

Matheus Carvalho disse...

Voces nao entenderam a coisa do escorredor de macarrao. A mulher nao e' louca, ela fez aquilo obviamente como uma satira a lei que permite a obtencao de documentos usando vestimentas que estejam ligadas a religiao da pessoa. Ou seja, muculmanas de burka, coisa do tipo, poderiam tirar fotos mostrando apenas os olhos por esta lei (eu acho).
A mulher do escorredor e' ateia, usa a camisa do movimento ateista e tudo.
Sinceramente, estou um pouco admirado com a incapacidade de compreensao de alguns leitores aqui!

Mr X disse...

Essa coisa de foto com escorredor na cabeça é coisa dos pastafarians, né?

Movimento ateu bobinho, mas tem sua lógica. Não, não acho que seja louca.

AF disse...

Calma, Matheus Carvalho.

Esse post é sobre loucura;

Foi postado um link com a notícia de que a moça usou um escorredor de macarrão na cabeça (que é uma atitude bem esquisita) e quem postou o link não disse nada sobre essa lei;

Então, é natural que as pessoas pensem que isso tem a ver com o assunto do post, pois a atitude dela foi bem esquisita mesmo.

confa* disse...

rindo nervosamente aqui***

chose, vc continua sem noçao e eu fico surpresa de continuar gostando de você, seu escorredor de macarrao !

Mr X disse...

Confa! apareceu. Oiiii! :-)))) Só falta o Chest e o Kct darem as caras agora. xD

Mr X disse...

Aproveite enquanto dura, mais dia menos dia sumo de novo. Bj.

Anônimo disse...

com textos destes, seremos cada vez mais! abraço X

Santoculto disse...

http://iahymnewsnetwork.wordpress.com/2011/08/10/new-study-shows-liberals-have-a-lower-average-iq-than-conservatives/

Noooossa, Que Isso,kkkkkkkkkkkkkkkkkk


Eu já sabia, eu já sabia.

Mr X disse...

Já entendi: Confetti é a moça do escorredor de macarrão.