quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Os gays e o fim da amizade masculina

Um artigo muito bem escrito (mas bem longo, e em inglês) adverte para um problema no qual eu jamais tinha pensado, mas que faz sentido: a propagação da cultura gay tem tido um efeito negativo sobre a amizade masculina.

O argumento é o seguinte: a aceitação pública dos gays mudou o sentido de certos comportamentos, antes comuns. Ao ver dois homens abraçados na rua, já pensamos: "é viado", embora poderiam ser apenas irmãos, ou amigos próximos. 

Pense na sua infância ou adolescência: talvez você tivesse algum amigo bem próximo com o qual passava grande parte do tempo, e aí, algum outro coleguinha invejoso, ou até alguma menina, insinuou: "esses aí são gays". E vocês, temerosos, afastaram-se um do outro, embora não houvesse absolutamente nada de remotamente sexual na relação.

Pense também nos filmes, na literatura. Quantas vezes agora dois personagens amigos homens (i.e. Frodo e Bilbo, Asterix e Obelix, Sherlock Holmes e Watson) já são interpretados como "gays" pelo simples fato de serem amigos próximos. Ver "gays" em tudo virou a nova norma; e a amizade masculina, com isso, sofreu um baque.  (Isso foi parodiado também naquele episódio de Seinfeld em que George e Seinfeld eram vistos como gays, "not that there's anything wrong with that")

O autor adverte também para um outro perigo: imagine, por exemplo, que o incesto e a pedofilia fossem liberados. Isso também mudaria a linguagem das relações humanas. Ao ver um pai abraçando a filha, já pensaríamos que pode ter algo mais aí do que o mero afeto filial. Ora, argumenta o autor, é justamente a proibição do incesto o que permite a proximidade familiar, assim como (antes) a proibição ou ao menos censura do comportamento gay é que permitia a amizade maior entre dois homens, sem que ninguém pensasse que um deles dava o cu. 

De fato isso já aconteceu um pouco: nos EUA, por exemplo, um homem que se aproxima mais de dois metros de crianças ou jovens desconhecidos já é visto como um tarado em potencial e chama-se a polícia, muito embora possa ser apenas um simpático vizinho. Mais de um fotógrafo já foi preso por ter tirado fotos de crianças em público, confundido com pedófilo. No Brasil, um pai e um filho podem ser agredidos ao ser confundidos com casal gay. Perdeu-se a sensação de inocência que antes havia; tudo agora é ou pode ser sexual. E portanto a amizade inocente de outros tempos também acabou. 

 Batman e Robin são gays, é claro.

13 comentários:

AF disse...

Excelente post, X. Não havia parado para pensar sobre como o homossexualismo que a esquerda quer porque quer impor na sociedade pode afetar também a amizade entre as pessoas e nem sobre a questão do incesto.

Tudo isso colabora mais do que imaginava para o fim do cristianismo e do amor entre as pessoas, resultando em pessoas cada vez mais frias, filhos que não respeitam os pais, mais bandidos e coisas horríveis acontecendo no mundo.

Claudio disse...

Amizade masculina!? Maior mito do ocidente, tal amizade é sempre abalada quando uma mulher mediana está em jogo.

Leonardo Melanino disse...

Senhor X, quero-lhe avisar que existem, pelo menos, dois "hormônios afetivos", as testosteronas (os masculinos) e as progesteronas (os femininos). Eles causam excitações afetivas em nós por meio de afagos, amplexos, cócegas, euquímanos, ósculos e outras afetividades. Judas Iscariotes traiu Jesus Cristo com um ósculo facial antes de O entregar aos soldados romanos. Este é somente um exemplo de traição afetiva, que não é romântica nem sexual. Nem todo homossexual é promíscuo e nem todo promíscuo é homossexual, pois existem homossexuais mais castos do que muitos heterossexuais por aí e assim sucessivamente, pois as promiscuidades não somente são sexuais, mas também emocionais, jurídicas, políticas ou religiosas. Nunca cumprimentemos desconhecidos, principalmente fisicamente, principalmente drogados ou criminosos, pois quem com porcos se mistura farelo come. Por isso, as Justiças têm de estar acima dos Amores, assim como eles têm de estar acima das Afetividades e das Intimidades, pois Amores sem Justiças são Conivências ou Impunidades e Afetividades ou Intimidades sem Amores são Assédios, Hipocrisias, Molestamentos ou Traições. Agradeço-lhe de todo o meu coração! Obrigado!

Leonardo Melanino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Leonardo Melanino, o artigo do Mr X não diz respeito à promiscuidade gay, mas antes à Revolução Sexual e suas consequências para as relações humanas.

Quanto à promiscuidade gay, todo homossexual é promíscuo em essência, pois tem inclinações desordenadas, o que está na definição de promiscuidade.

Se não exclusivamente no quesito sexual, também nos demais que você mesmo apontou. Emocionalmente são pueris, religiosamente são fracos, e politicamente são fascistas por regra.

Leonardo Melanino disse...

Senhor X, Vossa Senhoria ainda não falou sobre as afetividades hipócritas, como afagos, amplexos, cócegas, euquímanos, ósculos e outras, pois demonstrações de afetividade de desconhecidos ou mesmo de conhecidos, principalmente indesejadas, são maléficas, pois são assédios ou molestamentos. Infelizmente, muitos crimes afetivos ocorrem por causa disto. Antigamente ninguém namorava nem mesmo euquimanando (apertando as mãos ou estando de mãos dadas), pois isto era considerado imoral. Namorar menores de 18 anos é crime de pedofilia, pois é uma violação do CCB de 2002, do CPB de 1940, da CRFB de 1988, do ECA de 1990 e da LCP de 1941. Por isso, nunca cumprimentemos fisicamente nenhum desconhecido, pois os motivos estão citados na segunda frase deste comentário. Agradeço-lhe de todo o meu coração! Obrigado!

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Babaquice. Por causa desses malditos gayzistas imbecis, agora se vê boiolice em tudo. Principalmente onde ela NÃO EXISTE!!!! Por causa dessas malditas feminazistas imbecis, agora se vê potenciais estupradores em todos os lugares. Principalmente onde eles NÃO ESTÃO, e/ou em quem eles NÃO SÃO. Daqui a pouco, bastará a você, homem, dizer um simples bom-dia a uma mulher, e se tornará um fortíssimo candidato a sofrer um processo por assédio sexual. Corja de filhos da p#$a do c@#@lho.

Anônimo disse...

>Amizade masculina!? Maior mito do ocidente, tal amizade é sempre abalada quando uma mulher mediana está em jogo.

Não costumava ser assim. Se você checar obras antigas, verá que esse tipo de clichê era muito menos comum.

Foco Cristão disse...

Como esse Leonardo Melanino fala besteira.

Não existe crime de pedofilia.
Não é ilegal namorar menores.
Não é pecado apertar a mão das pessoas ou se cumprimentar.

Meu blog: http://fococristao.wordpress.com/

Leonardo Melanino disse...

Senhor "FOCO CRISTÃO", quem está falando besteira é Vossa Senhoria, pois nunca leu nenhuma legislação brasileira no sítio de "Legislações" do Palácio do Planalto. Por isso, peço para que Vossa Senhoria estas seguintes legislações lá, além da CRFB de 1988: CCB de 2002, CLT de 1943, CPB de 1940, CTB de 1997, ECA de 1990 e LCP de 1941. Uma pergunta para Vossa Senhoria: Será que Vossa Senhoria nunca estudou sobre algumas coisas do pretérito, como Juizados de Menores, palmatórias e assim sucessivamente? Agradeço-lhe de todo o meu coração! Obrigado!

Anônimo disse...

Kuando eu era pekeno tinha um colega e a professora meteu bullying contra nos dai jogou a classe toda na gente dai ele se afastou no merdil ate os professores destroem os alunos e sua sociabilidade pais merda da porra kk

Anônimo disse...

Talvez a professora tinha inveja de genero tambem e descontou na gente ja perdi a conta de mulheres manipuladoras ke jogam caras x caras ate gerando crimes pos merda pra se sentirem as gostosonas

Marcelo disse...

E os gays (ora, essa palavra não significa "alegre"?) era o cabeleireiro, engraçado, aquele que fazia faxina na sua casa. Hoje eles estão se tornando militantes esquerdistas. Não sabem que lutam contra si mesmos. Logo logo haverá violência real (não essa virtual tão propagada por militantes, com o fim de receberem gordas verbas públicas). Haverá violência real. Os heteros já não queremos estar próximos de gays, não os queremos mais como amigos. Temos medo deles.