sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

HOW can I, that girl standing there,
My attention fix
On Roman or on Russian
Or on Spanish politics?
Yet here's a travelled man that knows
What he talks about,
And there's a politician
That has read and thought,
And maybe what they say is true
Of war and war's alarms,
But O that I were young again
And held her in my arms!


W. B. Yeats

10 comentários:

c* disse...

"SOME may have blamed you that you took away
The verses that could move them on the day
When, the ears being deafened, the sight of the eyes blind
With lightning, you went from me, and I could find
Nothing to make a song about but kings,
Helmets, and swords, and half-forgotten things
That were like memories of you--but now
We'll out, for the world lives as long ago;
And while we're in our laughing, weeping fit,
Hurl helmets, crowns, and swords into the pit.
But, dear, cling close to me; since you were gone,
My barren thoughts have chilled me to the bone."

WBY

Mr X disse...

:-*

Mr X disse...

Apaguei o comentario pois era inadequado para um post de poemas, que é espaço meu, da conf, e dos ocasionais amantes da poesia, mas não de política.

O contato do blog é orbister@gmail.com, mas respondo mais frequentemente aos comentarios.

c* disse...

"Peuples! écoutez le poète !
Ecoutez le rêveur sacré !
Dans votre nuit, sans lui complète,
Lui seul a le front éclairé.
Des temps futurs perçant les ombres,
Lui seul distingue en leurs flancs sombres
Le germe qui n'est pas éclos.
Homme, il est doux comme une femme.
Dieu parle à voix basse à son âme
Comme aux forêts et comme aux flots."


victor hugo "les rayons et les ombres"



chose, feliz everything !

c* disse...

" DESEJOS

Desejo a vocês...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho.
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu."


Drummond

Autor desconhecido disse...

Que apagou o comentário eu entendo mas ao menos pegou o link??

Autor desconhecido disse...

Enquanto no conforto da Matrix o mundo é pintado de uma aquarela brilhante e amorosa,
Quando finalmente resolvo ser eu o pintor de minha vida as cores se tornam monocromáticas e cinzas e os sorrisos ardentes do vermelho ou o olhar profundo do preto são dissolvidos numa confusão de cores sem paixão,
Os pintores de outrora pintaram um mundo perfeito,
mas por de trás das paisagens alegres e confiantes a rachadura e a aspereza da tela do quadro denotaram a natureza verdadeira das coisas,
Sonhos translúcidos são intercalados por entre a verdade,rancorosa e dura, o pesadelo de nossas vidas embalados na crendice humana do otimismo certo dos novos dias,
O admirável mundo novo é o retrato de um pesadelo camuflado de sonhos de uma juventude que probira tudo,até o proibir.

El Misionero Matsuura Junichiro disse...

Por favor, Mr. X. Não deixe o seu blog morrer. Não o mate.

Anônimo disse...

é ,quando a verdade começa a incomodar só a censura salva!

c* disse...

" ser um poeta maldito
a massa sofrendo
enquanto eu profundo medito

eu queria tanto
ser um poeta social
rosto queimado
pelo halito das multidoes

em vez
olha eu aqui
pondo sal
nesta sopa rala
que mal vai dar para dois "


eu queria tanto --- paulo leminski



( des baisers mon chose )