sábado, 5 de maio de 2018

Salvar o Ocidente? Para quê?

O poeta Yeats escreveu, lá por 1938, quando o mundo estava à beira da guerra:

All things fall and are built again
And those that build them again are gay.

Atenção, naquele tempo "gay" ainda não significava "homossexual" mas apenas "alegre" ou "feliz". Traduzindo literalmente: todas as coisas são destruídas e construídas novamente, e aqueles que as reconstróem são alegres. Traduzindo menos literalmente: civilizações acabam e precisam ser reconstruídas, paciência, isto não é necessariamente ruim, mas pode até ser bom.

Muitos e eu inclusive já disseram lutar pela "salvação do Ocidente", mas o que é que chamamos de Ocidente hoje? Feministas imundas desejando a morte do homem branco, o fim do estado-nação substituído por um mundo global sem identidade, todo o mundo com iPhones e um MacDonalds ou Subway ou Starbucks em cada esquina, o direito à "troca de sexo", casais de lésbicas e homossexuais adotando criancinhas muitas vezes para abusá-las sexualmente, arte escatológica, arquitetura horrível, e assim por diante. 

Eu não sei direito quando foi que o tal Ocidente passou do ponto de ser "salvo". Talvez quando deram o Nobel de Literatura para o Bob Dylan, ou agora mais recentemente, quando um rapeiro negro ganhou o Prêmio Pulitzer por canções com rimas de dar inveja a Keats e Yeats, belos versos como: "I gotta slap a pussy-ass nigga, I don't give a fuck".

Ou talvez seja quando os "neocons" se emocionarem com o Iraque e decidiram bombardear Líbia, Síria e o Oriente Médio inteiro sem sequer dar uma boa desculpa e ainda empurrando cinicamente os refugiados para a Europa, ou quem sabe com o escândalo do "Me Too" quando uma feminista se sentiu sexualmente abusada ao simplesmente ouvir um homem falar a palavra "rape" na sua frente.

Vai saber. O fato é que acho que o Ocidente já não é mais parte da solução, é o problema. Não sei se tem jeito de salvar. Talvez sim, mas talvez não. Talvez devamos esperar tudo isso ser destruído para começar de novo. Talvez, como sugeriu um autor que agora não lembro quem era, o melhor negócio seja sobreviver nas ruínas esperando o momento de reconstruir tudo. E este momento virá, podem ter certeza. O feminismo, o globalismo e o multiculturalismo em breve ruirão, são só um castelo de cartas ridículo sem qualquer relevância, não são forças construtoras, mas destruidoras, e portanto não podem se manter em pé sós.

É da natureza, algumas poucas pessoas constróem, as outras só sabem destruir. E daí? Quase toda forma de destruição é na verdade auto-destruição, uma forma de suicídio. Eles morrerão com o mundo que querem destruir, no seu lugar sempre virão outros para levantar as pedras, e farão isso assobiando com alegria. 

O Ocidente está em chamas? Deixa queimar. Depois a gente constrói novamente.

Burn baby burn.
P. S. Gente, não leiam tudo tão literalmente, às vezes gosto de usar hipérbole, OK? É um recurso de retórica, só isso.

15 comentários:

abibo disse...

Sodomita é um termo ofensivo e factualmente errado já que boa parte da bobagem da "bíblia" é puro delírio... além de incentivar ao niilismo não é xish neo con??

Abigo disse...

A segunda parte mostra o nível de aprofundamento intelectual de nosso blogueiro favorito ou melhor pipoqueiro... Quer dizer então que: O aparecimento da civilização marcado por toda sorte de real perversidade é bom...destruí-la quando começa a acertar em muitos pontos importantes também é bom.

Abigo disse...

Acho que esta foi a gota d'água diante do seu CINISMO. Você é parte dos divisionistas, mas, diferente de um idiota útil você está longe de ser um... Triste.

Abido disse...

Meu último comentário nesta birosca. O ocidente está assim porque o branco médio é burro demais para ter sido capaz de ter esta civilização em suas mãos, que sempre esteve nas mãos de sua elite de sociopatas. Materialistas, hipócritas, emocionalmente burros, convenientes, e quando acertam no lado afetivo erram no cognitivo e vice-versa. Nem acho que sejam mais tolos que outras populações como os leste asiáticos.

Mr X disse...

Cínico niilista? Ao contrário, achei que estava otimista. As coisas ruins passarão, tudo pode ser reconstruído, ignore as pessoas destrutivas e más, elas sempre existirão, mas também recebem seu castigo.

Mr X disse...

"O aparecimento da civilização marcado por toda sorte de real perversidade é bom...destruí-la quando começa a acertar em muitos pontos importantes também é bom'

Nesta parte eu discordo. Ou melhor, concordo que o Ocidente sempre teve partes ruins (e sempre terá), mas na soma quase sempre melhor do que outros povos. Mas não acho que "comece a acertar", neste sentido sou pessimista pois não acho que exista solução para os problemas humanos e terrestres.

direita disse...

Acertar muitos pontos ? Do que falas?

Joshua Black Rock disse...

looooooooongo bocejo de puro tédio.
Quantas vezes a civilização ocidental se estropiou toda? Sério. Quantas vezes o ocidente deu aquela caída feia? Fomes, pestes, invasões, guerra, socialistas, comunistas e os cambau de bico e cá estamos. Demos uma levantada e estamos ai pelo meio, ainda não caindo mas com certeza não estamos mais subindo. Faz parte. Coisa meio Hindu, só que mais rápida. Ciclos. Só isso. Eu não estarei por aqui na derrocada final, nem meus filhos nem meus netos de modo que, como meus ancestrais quero mais que o futuro seja problema dos que vão passar por ele...

AF disse...

O Ocidente está em chamas? Deixa queimar. Depois a gente constrói novamente.

Ouço muito esse argumento, mas o problema é que até nós que não queremos isso, nos queimaremos nesse fogo, mas pelo menos temos uma certa vantagem que é saber sobreviver a esse fogaréu todo.

Inclusive, você podia fazer um post sobre isso, sobre como sobreviver a crises e invasão do terceiro mundo, colocando algumas dicas quanto a isso, como investir em criptomoedas, mudar a cidades do interior, lugares pouco falado, ter um anonimato na net, etc.

Joshua Black Rock disse...

Na verdade daria para contar nos dedos das mãos do Lula os anos que o tal do "ocidente" esteve "na boa" nos últimos 1000 (mil mesmo) anos. Na verdade nos humanos só prestamos mesmo e só somos eficientes mesmo quando ameaçados, assustados ou acossados por circunstâncias adversas. Este mimi, este chororô de coitadinhos dos brancos ocidentais é quase que preguiça ou pior, covardia diante do de sempre. Fato é que apesar dos últimos mil anos terem se constituído de inúmeras tentativas de aniquilação do branco ocidental, estamos ai e certamente a Europa, ainda que combalida, sobreviverá às hordas imigrantes dos pobres diabos que fogem de cús de mundo.

Anônimo disse...

acontece que a substancia do auge de uma modernidade classica pre boomer pos modernidade classica idem foi perdida pra sempre kemp falava do dna mas esqueceu da substancia imaterial que tambem perdida ja era a decadencia geracional perpetua so botão nuke

Anônimo disse...

Hindu, só que mais rápida. Ciclos.

teoria indo arya dos ciclos não se sustenta vide o ja citado substancia material e imaterial holos

Anônimo disse...

pobres diabos que fogem de cús de mundo.

falta de responsabilidade reprodutiva so botão nuke

Anônimo disse...

ja dizia a espanhola é anti

etico mesmo para a linhagem

deles dirá

Anônimo disse...

Anônimo abibo disse...
Sodomita é um termo ofensivo e factualmente errado já que boa parte da bobagem da "bíblia" é puro delírio... além de incentivar ao niilismo não é xish neo con??

5 de maio de 2018 14:34

acho o termo engraçado e leviano não vejo algo de wow mesmo para alguem que acha o não heterismo uma condição comum e mediocre