segunda-feira, 26 de maio de 2014

A vingança dos nerds

Santa Bárbara. Belíssimo lugar. Estive mais de uma vez. Estive também no campus da UCSB. Não é tão bonito quanto o de outras universidades americanas (arquitetura moderna, feia), mas a faculdade tem fama de ser uma das melhores dos EUA -- não academicamente, mas para festas, sexo e drogas.

Alguns falam em controle de armas, outros em doença mental, mas poucos discutem o fato de que a sociedade americana de hoje seja um lugar difícil para jovens homens brancos (se bem que ele era filho de mãe asiática e pai branco, como tantos casais hoje na Califórnia), ou ao menos, certo tipo de jovem homem mais nerd (e brancos e asiáticos são os mais nerds), e de que há algo terrível na sociedade moderna que leva a um aumento cada vez maior destes casos.

Falarei mais sobre este caso em breve, pois é representativo de uma mudança terrível. Fiquem por ora com esta boa descrição dos eventos e comentário sobre o perfil do assassino, ou leiam o iSteve e o Lion of the Blogosphere, onde estão os melhores textos sobre o assunto.


P. S. Só pra esclarecer. Sempre que ocorre um desses casos de tiroteio, já saem as pessoas declarando que "foi por causa de x" ou "foi por causa de y", como se pudesse existir uma causa única que, se resolvida, acabaria com futuros tiroteios no instante. A esquerda fala em "ódio racista, sexista, etc" e a falta de controle de armas, já a direita critica a crise de valores, a violência nos videogames, etc.

Não é bem assim, é claro. O mero fato de existirem possantes armas de fogo e indivíduos perturbados já garante que eventos desse tipo poderão acontecer. Quanto ao motivo, bem, os loucos ou paranóicos tendem a aderir à moda do momento e seus motivos declarados não devem ser levados tão a sério. 

Eu não estou dizendo que seja por causa do "feminismo". Porém, tendo lido um artigo que declarou que a culpa era da "sociedade patriarcal", confesso que me irritou. Pois afinal, se a culpa fosse da "sociedade patriarcal", então pela lógica tais eventos seriam muito mais comuns nos anos 1950 do que hoje, quando a tal sociedade patriarcal estava no auge na América. Só que é o contrário: eram extremamente raros nessa época, e hoje acontecem a cada semana.

Tudo bem, não há uma causa única, mas seria demais imaginar que a desintegração da família, o aumento dos divórcios, a liberação sexual, a diversidade, e todos os problemas criados pelo radicalismo dos anos 60 (e que continua até hoje) não teriam nenhuma influência em tudo isso que vemos aí?

Eu não li a sua autobiografia, mas o Lion leu e publicou uns trechos. O jovem tinha pais divorciados que não deram muita bola para ele; uma família problemática, uma madrastra estúpida e um pai ausente; era bi-racial (asiático com europeu) e sentia-se conflituado por isso; era viciado em videogames. Etc, etc. 

Por outro lado, o garoto tinha certamente problemas psicológicos profundos e, em algum momento, virou um monstro do egoísmo. Criticava a mãe por não ter tido um segundo casamento com um homem rico; culpava o pai por não ser um figurão maior de Hollywood em vez de gastar dinheiro em um documentário medíocre; criticava as mulheres loiras por "rejeitá-lo", como se ele tivesse direito a elas apenas por existir e dirigir um BMW.

O que sim acho que é parte do problema é essa mentalidade vitimista (gerada em parte pelo politicamente correto) em que todo mundo se vê como vítima inocente de um mundo injusto e cruel. Ele sofreu bullying, é verdade, e pode não ter tido uma vida ideal, mas quem é que teve? Comparado à maioria de nós, ele era um privilegiado, mesmo que não pudesse ver isso. Enfim, de forma alguma é um modelo para o que quer que seja.

Porém, o fato de que estejam acontecendo tiroteios com extrema freqüência, e quase sempre por homens jovens ou adolescentes perturbados e socialmente isolados, leva a pensar que existe algo de errado na sociedade que os leva a isso. Talvez num passado nem tão remoto, a religião ocuparia o vazio de suas vidas. Ou talvez ser virgem aos 22 anos não seria algo tão terrível, considerando que ser virgem até o casamento era comum para muitas pessoas. Ou talvez ele apenas se mataria, sem sentir a necessidade de levar junto outros consigo. Eu não sei, realmente. Sei que antes não acontecia, e agora acontece com assustadora freqüência, e isso é um sintoma de uma sociedade claramente doente. E dizer que é culpa das "armas" ou do "patriarcado" (ou, está certo, do "feminismo") é simplificar demais tudo.

11 comentários:

Anônimo disse...

de novo essa conversa? mulher é a coisa mais fácil que existe. se o sujeito for um nada, e na balada disser para alguma bêbada que é um empresário de sucesso, ela vai para a cama com ele e nem vai perceber que a casa dele não é uma mansão.

TERMINATOR disse...

Ops, uma luz no fim do túnel: Extrema direita vence as eleições na França.

Anônimo disse...

O feminismo liberou a hipergamia feminina, de modo que todas querem seu Don Draper e ignoram os perdedores beta que, no passado, poderiam ter casado e sossegado.

E onde fica a seleção sexual e o lugar da discriminação que os neocons e direitas tanto defendem?


O politicamente correto criou a idéia de que ninguém pode ser ofendido e de que todos são iguais, quando claramente não o são.

Se esta é a realidade vigente, então porque os betas se sentem ofendidos? Além de que os betas não são iguais aos Alfas, da mesma maneira que a a Magricela da Twiggy e a obesa da sua vizinha não são a Scarlett Johansson. Mas duvido muito que vc queira uma magricela ou uma obesa mórbida pra vc, vc quer a sua loira peituda.

Acho tão engraçado este pensamento medíocre: um garoto retardado mental, feio, metido e rico sai matando inocentes com a motivação de ainda ser virgem (nossa, com que idade, 22? Nossa, já deveria estar casado e com um harém...)e neste caso os conservadores brasileiros botam a culpa em quem? Nas mulheres que discriminam este tipinho.

Agora imagine se o assassino fosse um gay, um pobre (de qualquer origem) ou mesmo uma mulher? Qual seria o comentário: infantil, perigoso para a sociedade, etc etc.

A Direita não pode falar mal da Esquerda. As duas são iguaizinhas: dois pesos, duas medidas.

AF disse...

"Ops, uma luz no fim do túnel: Extrema direita vence as eleições na França."

kkkkkkk, e isso parece ter incomodado a mídia um tanto... mal vi a TV e acessei a internet e já apareciam reportagens como: "extrema direita vence as eleições, partido ultradireita vence as eleições, grupos nacionalistas e anti-UE vencem as eleições, etc...".

Enquanto isso, as feministas continuam surpreendendo: a nova moda agora é andar com a calça toda suja de sangue de menstruação, porque de acordo com elas: "ao tentarmos esconder o nosso período, uma função corporal perfeitamente natural, estamos a tomar parte no sistema patriarcal e, de modo efectivo, a punir-mo-nos por sermos mulheres".

Autor Desconhecido disse...

''A Direita não pode falar mal da Esquerda. As duas são iguaizinhas: dois pesos, duas medidas.''

Concordo plenamente anônimo, ''bochecha sem claudinho''. Sem direita, com que a esquerda iria ficar enchendo o saco.

Hoje a modinha entre os esclarecidos é endeusar a direita como se fosse diamante. Nada disso. Direita e esquerda são a mesma coisa, mesma bosta, que os dois se lixem e nos deixem na santa paz do CAMINHO DO MEIO.

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

De repente, a culpa pode não ser somente do feminismo. Porque das armas, e do patriarcado, com certeza, não é. Pode ser, também, do gayzismo. Só estou conjecturando, vejam bem. mas, se o cara não é o tipo de sujeito, a cujos pés as mulheres se prostram, pedindo "por favor, me come", ele acaba tendo que aturar uma corja de imbecis, que insistem em obrigá-lo a ser gay (ou g0y, ou g@y). Absurdo???? Certamente!!!! Mas, infelizmente, acontece. Não só acontece, como é chato pra cacete. Não é todo mundo que sobrevive a isso. Pode ser o caso desse cara.

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Como se ser virgem aos 22 fosse vergonha. Vergonha é acreditar em horóscopo (ironic mode on). Algumas das maiores e mais duras realidades que nós, geral e freqüentemente nos recusamos a enxergar são estas (ironic mode off):

1. Nós NÃO TEMOS direito a NADA, nem merecemos NADA.

2. NINGUÉM é OBRIGADO a GOSTAR de nós, a nos amar, a nos aceitar como somos, nem mesmo a nos respeitar, e o cacete a quatro.

Geralmente, nóe só acordamos para a dura realidade, quando ela nos dá uma PORRADA VIOLENTA.

O cara queria um romance, que fosse ler um livro, então. De preferência um livro NÃO ROMÂNTICO.

Bullying???? Eu também sofri, e não morri por causa disso.

O cara levava nome de boiola sem ser???? Tadinho dele!!!! Isso, lamentavelmente, acontece.

Aconteceu comigo, e eu não virei gay por causa disso.

Todo cara que não é o tipo de cara, a cujos pés as mulheres se prostram, pedindo "por favor, me come", em algum momento da vida, ou em vários, tem que aturar uma trupe - ou várias trupes - de babacas, que querem obrigá-lo a ser gay. Então fica fria, tá, santa????

Eu fui virgem até os 19 anos, e, sinceramente, acredito que poderia ter esperado mais um pouco. Eu também queria que tivesse sido por amor, ou que rolasse um pouco de carinho, e tal. Mas quem foi que disse que a vida é do jeito que a gente quer???? Não, não é. Então, Cláudia, senta lá.

Romance, se algum dia existiu, não existe mais. Dura veritas, sed veritas. Dura realitas, sed realitas.

Se alguém aí tiver conhecimentos de Latim, por favor, sinta-se à vontade para corrigir as minhas citações.

SemIdeiaParaNome disse...

meio off-topic, mas...

Que bom que o blog do Mr. X voltou! Era o melhor blog conservador brasileiro!

Anônimo disse...

A culpa não é só do feminismo. Esse maluco veio de uma família desestruturada (divórcio) e de uma educação moderna sem espaço para a transcendência. Eu acho que é tudo educação marxista-progressista-feminista-laicista + divórcio + criação filhinho de papai + problemas mentais.

Aliás, perdi a virgindade com 20 anos e não matei ninguém, nem tenho ódio das mulheres. O cara achava que o problema dele estava no mundo e não nele mesmo. Eis a mentalidade revolucionária, o problema é sempre o outro.

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Eu vi os três sites, e nenhum deles mostra a cara do pilantra safado. Tudo bem que, a estas horas, o dito cujo já está sentado no colo do capeta, mas bota a cara do sujeito pra gente copiar, e fazer um alvo de tiro.

El Misionero Matsuura Junichiro a.k.a. Marcos Freybert disse...

Mulher fácil???? Só se for na zona mesmo. Lá, sim, é só escolher a mulher, acertar o serviço, pagar e pronto, fodeu.