sábado, 11 de novembro de 2017

Pornificação

Desculpem a falta de posts recentes mas o mundo anda meio repetitivo não acham?

Mais um imigrante muçulmano atropelando pessoas supostamente em nome do ISIS, mais um, perdão, dois massacres a tiros nos EUA perpetrados por brancos armados (até eu terminar de escrever este texto talvez ocorra mais um).

Nunca entendo direito estes atentados, o que esperam ganhar? Cui bono? Ou seriam realmente ataques de "falsa bandeira" para tentar instalar um estado policial? Não sei mais.

E também dezenas de novas denúncias de assédio sexual, de Louis C. K. a Kevin Spacey, que parecem prenunciar um estranho neo-puritanismo feminista.

(É um paradoxo. Por um lado, você precisa ser ao menos um pouco sexualmente agressivo, ou que mulher dará atenção para você? Por outro lado, se falhar, a mulher (ou o gay) poderá utilizar a cantada mal-sucedida como "assédio" mesmo décadas depois e te processar. Qual a solução? Acho que só ser árabe ou ser negro, pois eles parecem estar exentos de tais regras. (Judeus também pareciam exentos, mas grande parte destes novos acusados são judeus, então, já não sei mais. É um novo e confuso mundo)).

Falando em árabes e negros e judeus, um conhecido âncora brasileiro e judeu está em maus lençóis por ter falado que buzinar constantemente era "coisa de preto". Achei seu comentário esquisito, parece-me que a buzina impaciente é algo comum em qualquer grupo étnico ou social, mas posso estar errado. Alguns reclamam do racismo, outros do politicamente correto, mas no caso parece ter sido uma piada meio forçada mesmo.

Enfim, as coisas andam meio monótonas. então vou falar de um assunto diferente: pornografia.

O Fred Reed escreveu um curioso artigo propondo a legalização da pornografia infantil para pedófilos, desde que feita de maneira digital (i.e. sem crianças reais).

Isto não é tão novidade quanto parece: no Japão, por exemplo, são comuns animações e mangás com conteúdo, se não pornográfico, ao menos bastante erótico, envolvendo jovens colegiais. E isto é perfeitamente legal, afinal, são apenas desenhos que "não causam mal a ninguém".

Bem, aqui eu vou ter que discordar. Meu entender no momento é que a pornografia, e não apenas aquela envolvendo crianças e adolescentes, mas todo e qualquer tipo de pornografia, é bastante nociva. Acredito que afete negativamente nossas mentes e, no caso dos adolescentes (que são naturalmente os que mais a consomem), possa mesmo chegar a causar problemas sexuais e mentais. (Recentemente uma pesquisa mostrou um aumento nas disfunções eréteis entre jovens, relacionado com o consumo excessivo de vídeos pornôs).

É verdade que, quanto maior o nível de abstração, menor o perigo. Dessa forma, animes são menos perigosos do que vídeos com atrizes e atores (ou os ainda mais comuns vídeos amatoriais), e a arte erótica estática é menos nociva ainda.

Mas por que - ao menos no meu entender - a pornografia seria nociva?

Eu acho que é realmente por passar a nossos cérebros a uma visão deformada do mundo e da sexualidade, que afetam os neurônios de forma a gerar uma necessidade de conteúdo cada vez mais extremo. (O mesmo mecanismo que ocorre com as drogas, por sinal). E quando chegarmos daqui a pouco ao uso massivo de óculos de realidade virtual (que, convenhamos, vão ser utilizados em 95% dos casos para pornô) poderá ser ainda pior. 

Sou tão velho que quando eu tinha uns doze ou treze anos a Web estava recém nascendo e não se tinha acesso tão fácil quanto hoje em dia a material pornô. O mais próximo que se poderia encontrar era alguma pornochanchada brasileira supostamente baseada em Nelson Rodrigues que passava de madrugada na Band, em que a Vera Fischer mostrava os peitos. E era bem difícil encontrar revistinhas de sacanagem. Talvez alguém conseguia uma Playboy ou uns quadrinhos do Zéfiro através de um primo ou irmão mais velho, mas não era tão fácil assim. 

Isso mudou logo depois, e eu tive acesso aos mais variados tipos de pornografia através do computador. Mas nada que veio depois causou tanto impacto como a primeira revista de mulher pelada que alguém trouxe clandestinamente no colégio e que ia passando de mão em mão. (O mistério e a dificuldade podem ser uma coisa boa.) 

Hoje, naturalmente, qualquer criança ou adolescente tem acesso a vídeos dos mais variados fetiches e bizarrices em seu telefone celular, tanto que até um vídeo extremamente nojento como "two girls two cups" virou meme de humor. Isto sem falar nas "novinhas que caem na Net".  

Existe uma empresa canadense que hoje é a responsável pela maioria do conteúdo pornográfico no mundo. Chama-se MindGeek. O nome inocente esconde que eles são os proprietários de quase todos os famosos sites pornôs em existência, de Pornhub a Xtube.

Existem pesquisas que indicam que um adolescente hoje em dia assiste a pelo menos duas horas de pornô por dia.

Dito isso, nem acho que o consumo de pornografia seja o mais grave de tudo, mas sim o que eu chamaria de "pornificação" da cultura. Observem que hoje existem páginas da mídia social com nomes como "Food Porn", "Science Porn" ou "Word Porn", como se "porn" fosse algo até positivo. Expressões do mundo da pornografia se tornaram linguajar comum e estão presentes até em canções populares para pré-adolescentes, como as de Ariana Grande e Miley Cyrus. (A música pop de hoje em dia é quase indistinguível do pornô.)

Ser ator ou atriz pornô não é mais nenhuma exclusividade. (Aliás, a indústria pornô tradicional está em decadência, e a maioria de seus "atores" hoje precisa se dedicar à prostituição para pagar o aluguel). E afinal quem precisa de grandes produções, ou "pornô com história"? Hoje existem centenas de sites de "cam" em que jovens mulheres ou casais de namorados expõe a própria intimidade para o mundo em troca de alguns trocados. E isto não é escândalo nenhum.

Sim, de vez em quando alguma jovem tentada para este mundo em busca de fama ou dinheiro ou por vazamento de vídeo se arrepende ou até se suicida, mas são casos raros. A maioria se exibe sem problema algum. É o novo normal.

Em breve, além da realidade virtual pornográfica, teremos também robôs sexuais bem realistas, tornando cada vez mais difusa a barreira entre a pornografia e a "vida real".  É um novo e bizarro mundo este que está nascendo.

O argumento de Fred e outros é que o acesso à pornografia infantil reduziria o número de tarados interessados em colocar em prática suas taras com crianças; mas temo que isso não seja bem assim. Por que uma coisa não poderia coexistir com ou até complementar a outra? Será que a pornografia em geral diminuiu ou aumentou o número de tarados em circulação?

Temo que no futuro não só o pornô infantil será liberado, como a própria pedofilia, bestialismo, necrofilia e por aí vai. Uma parte será apenas virtual, mas grande parte será com certeza real: torne as pessoas pobres e desesperadas, e elas venderão seus próprios filhos para poder comer. (Isto não é sequer tão novo, leiam histórias sobre a miséria do pós-guerra na Europa e os pais que vendiam as próprias filhas para os soldados "liberadores", são histórias de arrepiar).

Talvez por ter crescido em um mundo ainda diferente e, se não mais casto, ao menos não tão insano, ainda consigo ver tudo isto com certo choque; mas isto é cada vez menos comum.

É o admirável mundo novo de Huxley que a elite quer, e que você vai querer também. 

25 comentários:

Sabedor disse...

Duas horas de pornô???

Sabedor disse...

A pornografia assim como também àquilo que os mais azedos chamam apenas de "degeneração" tendem a se relacionar com a densidade demográfica em que quanto mais avançada não necessariamente no sentido mais ideal de avanço, uma civilização se encontrar, mais pessoas a povoarão causando talvez a sensação de que existem mais tarados em circulação enquanto que na verdade existem mais pessoas e aglomeradas em espaços urbanos de qualquer maneira. Talvez.

Sabedor disse...

Faltou você falar $$$(((deles)))$$$

Mr X disse...

"Anônimo Sabedor disse...
Duas horas de pornô???"

Achou muito pouco?

Para falar a verdade não lembro onde li essa pesquisa que mencionava duas horas, aliás, acho que a inventei. Vou procurar dados mais confiáveis e já volto.

Mr X disse...

Falar o quê?1?1???1!!!!!111??!!!?!?!!!?

Sabedor disse...

Ai ai ai hbd chick kkkkk

Sabedor disse...

Achei muito. Acho que pra se masturbar por duas horas todo dia, nem média é, pegaram os mais punheteiros de todos pra estabelecer essa média e imaginando que se masturbariam por no mínimo metade desse tempo.

Sabedor disse...

De que *existam*

Mr X disse...

Não consigo achar muitos dados mas aqui tem alguns. Talvez 20 minutos por dia em média?

http://www.roadtograce.net/current-porn-statistics/

http://fightthenewdrug.org/by-the-numbers-see-how-many-people-are-watching-porn-today/

http://observer.com/2017/01/pornhub-stats-data-2016/

Sabedor disse...

Sim, talvez até meia hora.

Marcelo disse...

No youtube mundial e brasileiro já há (sem censura) meninas pequenas brincando com bonecas e dançando, com o seguinte detalhe: costumam usar saias ou vestidinhos e sentam de perna aberta para mostrar a calcinha. Há vários. E as mães não veem, não percebem. Por que aquela menina de 10 anos se senta na frente de sua câmera, de perna aberta, mostrando a calcinha e depois que os meninos começam a falar da xoxota delas, elas não tiram o vídeo do ar?

Isso o youtube não censura.

Anônimo disse...

Não à toa o aumento do cuckismo e outros fetiches bizarros.
Eu já não vejo porno faz tempo, quando eu via era só com mulher solo.

Márcio disse...

Creio que masturbação diária, e claro, longe dessas irreais duas horas é para pessoas que não tem muito contato com sexo. E não vejo isto como um problema, quando a pessoa tem consciência das variações e tem motivos cônscios para isto.

Creio quê uma boa parte dos familiarizados com pornografia não estão na lama. E os quê estão não estão SOMENTE por causa dela, apesar quê há uma boa representação disto.

Há muitas variações. E vai me dizer que uma pessoa com lá seus 18 anos e virgem é automaticamente problemático por ver pornografia/masturbar-se diariamente? Há muitas variações, mas à princípio, não.

Mr X disse...

Acho que esta pesquisa que vi devia ser de 2h por semana. Ou então falava de casos mais extremos. Minganei. Abs.

Márcio disse...

Completando:É óbvio que a exposição à Pornografia causa efeitos problemáticos em mentes específicas e até sequelas irreparáveis e também pode afetar negativamente em diversos graus e magnitudes qualquer um que já viu um vídeo qualquer.

E tenho a "turva" impressão quê a masturbação sem o auxilio da pornografia, usando a "imaginação" costuma ser mais saudável para a mente do quê por meio de artifícios. Turva nada, estou começando ter certeza disto.

Direita disse...

Judith butler: judia. Peladao do museu de "artes modernas" :judeu. curador da mostra de degeneracao em porto alegre:judeu.

Altright,neoright,neocon ,counterjihadism ,feminismo,capitalismo,comunismo,marxismo cultural : todas ideologias judaicas .
Enfim ,os judeus sao responsaveis por todas as ideologias que destroem o ocidente e as que visam neutralizar a reacao nativa a essa destruicao .

Direita disse...

Quais foram os ultimos 2 ataques perpetuados por brancos nos USA? O do texas ,foi claramente feito por um mestiço .

Mr X disse...

"Judith butler: judia. Peladao do museu de "artes modernas" :judeu. curador da mostra de degeneracao em porto alegre:judeu."

Judith e o pelado sim, mas acho que o curador da mostra queer é gay mas não judeu.

Todos são gays.

Mr X disse...

"O do texas ,foi claramente feito por um mestiço."

Pode ser, ele tem um rosto meio estranho. Latino, drogado ou problemas mentais?


https://mgtvwjhl.files.wordpress.com/2017/11/9dcc1ef236d24c06b5633edec07836c1.jpg?w=650

http://ww4.hdnux.com/photos/67/23/75/14499707/5/1024x1024.jpg

Sabedor disse...

"O do texas ,foi claramente feito por um mestiço."

Direita e o seu brancocentrismo.

''Judith e o pelado sim, mas acho que o curador da mostra queer é gay mas não judeu.

Todos são gays.''

Mister Judeu, e o ponto mais saliente do novo

(((CENTRISMO)))

culpe

gays,
negros,
esquerdistas,
progressistas,
jacobinos,


agora os (((desgraçadozinhos))) não né Xx*

Sabedor disse...

Tal como

culpe o sintoma da gripe, mas jamais aponte para o vírus causador, né mister Judeu*

Anônimo disse...

De onde você tirou que a MindGeek é canadense? Pesquisei e todas as fontes aqui deram que é alemã (tinha que ser)

Direita disse...

Pode ser, ele tem um rosto meio estranho. Latino, drogado ou problemas mentais?


https://mgtvwjhl.files.wordpress.com/2017/11/9dcc1ef236d24c06b5633edec07836c1.jpg?w=650

http://ww4.hdnux.com/photos/67/23/75/14499707/5/1024x1024.jpg"


De fato ,esse cara nada mais que o novo branco. Ate na europa ja estao classificando esses tipos como tal.

Se ve que seu fenotipo( mongolizado) é o novo padrao do oque é considerado branco nos USA.

Mr X disse...

"De onde você tirou que a MindGeek é canadense? Pesquisei e todas as fontes aqui deram que é alemã (tinha que ser)"

http://nationalpost.com/news/how-a-canadian-founded-company-youve-never-heard-of-took-control-of-the-porn-industry

Djalma Marques disse...

Estou cada vez mais convicto de que o caminho cristão é parte crucial da resposta e resistência à podridão globalista, tanto no nível individual como no macro. Os donos do mundo trabalham estimulando nas massas, de todas as maneiras possíveis, o egoísmo, o hedonismo e a impulsividade. Convencem-nas de que tudo é relativo por que sabem que aquele que abre mão da noção da verdade é presa fácil de qualquer modismo e do consenso midiático. Empurram a crença de que o ser humano nada mais é que um animal justamente para que nos comportemos e nos tornemos como animais - afinal, é muito mais fácil controlar gado do que gente.

Já Cristo nos convida a sermos pessoas de verdade, capazes de lutar para nos tornamos pessoas melhores, de nos doar por alguém, de assumir nossas culpas e responsabilidades como adultos. Ele nos mostra que podemos ser verdadeiramente livres e não apenas um joguete das circunstâncias ou dos nossos instintos. Não é à toa que os globalistas odeiam tanto o Cristianismo...


"Se o mundo for contra a verdade, eu serei contra o mundo." - Santo Atanásio