quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Adeus à Califórnia

Eu não sei se vou ficar mais na Califórnia, mas isso é irrelevante, já que do jeito que as coisas andam, a Califórnia vai desaparecer antes de mim.

Não é de todo exagero: um ótimo (mas longo, e em inglês) artigo do City Journal fala sobre os problemas da comunidade de origem mexicana, os chamados "hispânicos", que já são 40% da população desse estado e 60% da população de Los Angeles. ("Hispânicos" é um péssimo termo que inclui qualquer idiota que fala espanhol, o antigo termo "chicano" era até melhor para descrever a população à qual se refere o artigo.)

Para quem visita apenas as partes turísticas do Golden State, isso ainda não se nota tanto, mas se você for para o chamado Central Valley, estará no México. Há mesmo várias partes de Los Angeles nas quais só se fala espanhol. (Em outras, por sorte, ainda se fala coreano, chinês, armênio e farsi!)

Como alega a reportagem, muitos latinos são trabalhadores incansáveis. E são menos agressivos e revoltados do que a comunidade afro-americana. Ôu-quei, parabéns para eles. Mas calma aí, eles também causam problemas, especialmente considerando a enorme escala de sua imigração.

O artigo nos informa que muitos abandonam a escola e se afiliam a gangues; que eles lideram nas estatísticas de mães solteiras e gravidez adolescente; que estão em geral abaixo de brancos e asiáticos no desempenho escolar; e que em termos de poder aquisitivo mesmo na segunda e terceira geração não sobem muito de vida.

Bem, é claro: eles eram a classe baixa no México, e continuam sendo a classe baixa nos EUA. Foram e estão sendo importados apenas por duas razões: votos para os Democratas, e mão de obra parata para os Republicanos.

Converso com hispânicos todo dia. São em sua maioria gente simples e bacana. Eu mesmo, segundo me informam, apesar da bela aparência nórdica e da inteligência branca superior (*), tenho algumas gotas de sangue ameríndio (**) e sou culturalmente latino, então não posso reclamar. E, no mais, acho que a cultura anglo tem muitos defeitos, como a extrema competição por status e classe social, entre outros, então não sou tão negativo assim em relação aos latinos. Não, são mis "hermanos". Viva la Raza!

Mas, justamente por vir parcialmente dessa tribo, também posso ver os problemas que ocorrem entre essa população. Alguns são mentirosos e corruptos, além de péssimos vizinhos. E, no geral, uma Califórnia mexicana vai ser uma Califórnia mais pobre e menos educada, simples assim.

Em uma recente lista das cidades mais e menos literatas dos Estados Unidos (i.e. cidades nas quais as pessoas lêem mais e têm maior cultura e educação), as piores da lista foram cinco cidades californianas. Por coincidência, eram cidades com maioria de população de origem mexicana. O Vale do Silício, ao contrário, é literato, nerd e (ainda) predominantemente branco e asiático. Coincidência, também, tenho certeza. Afinal, todos somos iguais! Certo? Certoooooooooo?

O pior de tudo é o seguinte: há uma promoção absolutamente insana dessa imigração, que é em sua maioria ilegal. Imigrantes ilegais têm já mais direitos do que imigrantes legais. Por exemplo, graças ao estúpido governador Jerry Brown, imigrantes ilegais não somente podem estudar do jardim de infância ao nível superior, como tem até direito a pagar matrícula reduzida nas universidades, no mesmo valor do que os habitantes nativos da Califórnia. (Em compensação, um imigrante estrangeiro legal ou um americano nativo de outro estado, paga 12 mil dólares anuais a mais.)

A maioria dos cartazes e avisos no transporte público na Califórnia já são bilíngues. (Onde eles acham que estão, no Canadá?) Nunca se viu uma população nativa se dobrando tanto às exigências de uma população estrangeira ilegal, basicamente abaixando as calças e ficando de quatro para eles. Pior, fazem de graça, pois nem é exigência, afinal os mexicanos ilegais estão pouco se lixando se os cartazes são bilíngues ou não. Acho que alguns mal sabem ler em espanhol.

O curioso é que os otários dos Republicanos agora estão passando a aceitar a imigração e até perigam aceitar a anistia de Obama para os ilegais. Eles juram que os hispânicos são "conservadores nativos" e mais dia menos dia passarão a votar no Partido Republicano. Agora os infelizes até acharam um cubano-americano, Marco Rubio, para tentar seduzir esse eleitorado (por que um cubano seduziria mexicanos, é um mistério, pelo que sei os dois povos se odeiam).

Os Republicanos podem esperar deitados, e de preferência na cova. Esse dia nunca vai chegar. Os tais "hispânicos" votam nos Democratas por um motivo muito simples, ganham mais benefícios com eles, ao custo de altos impostos que são pagos pelos outros. (Para financiar a educação dos hispânicos ilegais, o canalha do Jerry Brown aumentou todos os impostos californianos neste ano).

Por causa disso, a classe média branca está lentamente indo embora da Califórnia para o Texas, onde há menos impostos e o custo de vida é mais baixo. O problema é que o Texas está também lotado de hispânicos, então em poucas décadas é possível que o processo se repita por lá também, ainda mais com os ex-californianos brancos tornando o estado do Texas mais liberal. É o eterno processo: brancos burros gostam de progressismo, brancos burros progressistas facilitam a entrada imigrantes ilegais, imigrantes ilegais são pobres e dependentes do governo, o governo local Democrata aumenta os impostos para ajudá-los, a vida piora, os brancos burros progressistas Democratas se mudam para outro Estado, onde repetem o processo.

Quanto a mim, estou pensando em me mudar para Guadalajara, onde dizem que há mais brancos do que na Califórnia. E, ao contrário do que na Califórnia, lá ser branco de origem espanhol tem suas vantagens, aliás você é a elite e só se dá bem. Que viva México!

(*) Só pra esclarecer, esta é uma piadinha, tá? Aliás o post é todo meio tongue-in-cheek, ou, como dizem aqui na Califórnia, no es del todo serio. Mas algumas pessoas na Internet levam tudo ao pé da letra, então, esclareço. (**) Aliás, segundo os últimos resultados do meu teste genético que foi recentemente revisado, caí na escala e tenho entre 5 e 10% de genes não-europeus, o que é um choque, confesso. Ay ay ay amigos.   


21 comentários:

Rovison disse...

Não consigo compreender a mente desses caras. Algum leitor deste blog ou mesmo o Mr X tem alguma explicação mais ou menos convincente para esse comportamento irracional e autodestrutivos desses brancos esquerdistas?

Mr X disse...

Caro Rovison,

Eu tenho uma explicação bem simples: a expressão americana NIMBY (not in my backyard). Enquanto não afeta as pessoas diretamente, elas estão OK com o que acontece, elas acham que estão fazendo a parte delas. É o que pensam os brancos esquerdistas, enquanto for só com os outros, tudo bem. É tipo no Brasil, as pessoas são quase todas a favor de ajudar os favelados (até eu sou, em certa medida), mas morar ao lado de uma favela, aaah isso é uma coisa bem diferente, é aí as pessoas começam a sentir os problemas e pedir a remoção.

Agora que se chegou a um ponto mais crítico na Califórnia, algumas pessoas talvez comecem a se dar conta que não está tão OK assim, mas mesmo assim, correm o risco de perder a casa, emprego, dinheiro, vale a pena criar incomodação? Então, ficam quietas e pensam no delas.

Ou seja, provavelmente ninguém vai fazer nada até tudo não explodir de vez, e aí, sim, depois do caos, as coisas vão mudar. Pra pior ou pra melhor, já não sei.

Anônimo disse...

Se os pobre do Mexico todos forem embora e sobrar só os ricos e classe media,então o méxico se tornará um país rico? E se os mexicanos pobres forem para os EUA e manterem seus costume barbaros o país empobrecerá e então serão os americanos que vão imigrar para o México. Interessante...

Rovison disse...

É uma explicação aceitável. Depois de anos de marxismo cultural sendo pregado dia e noite nas escolas, universidades e grande mídia o resultado só poderia ser esse. É uma pequena que o povo que nos proporcionou a maior parte das grandes inovaçoes tecnológicas e na medicina produzidas no século XX esteja contribuindo para sua própria decadência.

Direita disse...

ha muita mistura de brancos com hispânicos ai na california,e certamente as proles destes preferem se auto classificarem como brancas a apesar da origem mista.

o censo demografico da california é bastante confuso.primeiro afirma-se que 40% dos californianos se auto classificam como brancos ,mas depois apresenta dados em que a soma dos não brancos chega 66% do total da população.


http://en.wikipedia.org/wiki/California#Demographics

com tantos médio orientais,norte africanos armenios -e deus sabe lá mais oque - sendo contados como brancos ,creio o numero real de brancos deve ser bem pior do que o apresentado.

Direita disse...

Como alega a reportagem, muitos latinos são trabalhadores incansáveis. E são menos agressivos e revoltados do que a comunidade afro-americana. Ôu-quei, parabéns para eles. Mas calma aí, eles também causam problemas, especialmente considerando a enorme escala de sua imigração.

parasitas é oque eles são.imigraram para fugirem de si mesmos e desfrutarem um modo de vida que não ajudaram a construir- ate porque não possuem capacidade para tal.

Direita disse...

Bem, é claro: eles eram a classe baixa no México, e continuam sendo a classe baixa nos EUA. Foram e estão sendo importados apenas por duas razões: votos para os Democratas, e mão de obra parata para os Republicanos.

antigamente ,tamanha era a diferença salarial entre brasileiros e americanos que muitos brasileiros de classe média-alta imigravam para os EUA para tentar um emprego braçal .

mrx,me desculpe,mais os democratas ganham em ambos os extremos ;seja em um sociedade homogenea branca ou em uma sociedade onde o branco é minoria .
alem disto,como ja se tem visto ,os republicanos não vão ficar vendo a mare passar ,eles ja estão,como sempre fazem ,se adequando a mudança demografica.

a questão da promoção da imigração hispânica é mais uma questão ideológica do que UMA SIMPLES busca pelo poder e pela maximização dos lucros de grandes empresários.

Direita disse...

Eu mesmo, segundo me informam, apesar da bela aparência nórdica e da inteligência branca superior (*), tenho algumas gotas de sangue ameríndio (**) e sou culturalmente latino, então não posso reclamar. Não, são mis "hermanos". Viva la Raza!

então você deve ser uma especie de cameron dias em versão masculina.

Mr X disse...

afirma-se que 40% dos californianos se auto classificam como brancos

Pois é, eles até tem uma categoria "White Hispanic", que nem sei bem o que é. Acho que se refere a latinos que se autoclassificam como brancos, embora nem todos sejam. Zimmerman foi definido por alguns como "White Hispanic", por exemplo.

É verdade que no censo árabes e médio-orientais em geral também contam como brancos, mas aí, acho que até tem certa razão. Steve Jobs não é branco, por acaso? No entanto é de origem síria.

Acho que branco >= europeu.

Mr X disse...

O termo parasita é muito forte e eu até ia apagar esse comentário, mas deixei passar. A maioria deles são sim trabalhadores, trabalham na agricultura ou na indústria de serviços e como tal realizam um trabalho indispensável para a elite e a classe média local, dando-lhes tempo para realizar outras tarefas. Toda sociedade bem-sucedida atrai pessoas menos qualificadas que trabalham ao redor dos ricos. Isso é simplesmente natural, e os brancos beneficiam-se disso. Praticamente todos os restaurantes de Los Angeles empregam mexicanos, por exemplo. Se eles quisessem acabar com a imigração, especialmente a imigração ilegal, deveriam então começar por não dar emprego a eles, mas não é o que acontece, pois muitos se beneficiam dessa mão-de-obra barata.

O problema é que esses imigrantes recebem benefícios indevidos do Estado e sim, eles estão se aproveitando de algo que não construíram nem poderiam construir, ou o teriam já feito no México. Nesse sentido, até concordo, especialmente no caso dos ilegais que nem deveriam estar ali.

Em segundo lugar, a mera magnitude da imigração está transformando os EUA. Mesmo que fossem asiáticos (dos quais também há um grande número na Califórnia), também seria um problema, trata-se de substituição populacional.

Mr X disse...

Alguns dizem que o Partido Republicano vai acabar, e eu acho que talvez vá mesmo. Ele ficou para trás. Adequar-se às novas realidades demográficas não vai salvá-lo, pois até os asiáticos votam Democrata.

Quanto à Cameron Diaz, jamais a vi como hispânica, acho até que nem fala espanhol. Sim, o pai dela é de origem cubana, mas fora isso, ela também tem antepassados ingleses e alemães.

Mas sim, se eu pudesse falar inglês sem sotaque, poderia passar por americano nativo. Não sou fenotipicamente muito latino, não. Mas, a Cameron Diaz é mais bonita do que eu.

Bárbara disse...

>"então você deve ser uma especie de cameron dias em versão masculina."

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

autor desconhecido disse...

''E, no geral, uma Califórnia mexicana vai ser uma Califórnia mais pobre e menos educada, simples assim.''

Sempre imaginei a California como naquele filme das Patricinhas de Beverly Hills, um reduto de drogados e idiotas white trash de colarinho branco.

''O Vale do Silício, ao contrário, é literato, nerd e (ainda) predominantemente branco e asiático. Coincidência, também, tenho certeza. Afinal, todos somos iguais! Certo? Certoooooooooo?''

Somos todos iguais mas alguns são mais iguais do que outros. Este é um reduto aspergóide.

''Pior, fazem de graça, pois nem é exigência, afinal os mexicanos ilegais estão pouco se lixando se os cartazes são bilíngues ou não. Acho que alguns mal sabem ler em espanhol.''

KKKKKKK,isso é engraçado.

''Marco Rubio, para tentar seduzir esse eleitorado (por que um cubano seduziria mexicanos, é um mistério, pelo que sei os dois povos se odeiam).''

Se odeiam pq?

''Por causa disso, a classe média branca está lentamente indo embora da Califórnia para o Texas, onde há menos impostos e o custo de vida é mais baixo. O problema é que o Texas está também lotado de hispânicos, então em poucas décadas é possível que o processo se repita por lá também, ainda mais com os ex-californianos brancos tornando o estado do Texas mais liberal. É o eterno processo: brancos burros gostam de progressismo, brancos burros progressistas facilitam a entrada imigrantes ilegais, imigrantes ilegais são pobres e dependentes do governo, o governo local Democrata aumenta os impostos para ajudá-los, a vida piora, os brancos burros progressistas Democratas se mudam para outro Estado, onde repetem o processo. ''

Ciclo da burrice progressista americana?

''Quanto a mim, estou pensando em me mudar para Guadalajara, onde dizem que há mais brancos do que na Califórnia. E, ao contrário do que na Califórnia, lá ser branco de origem espanhol tem suas vantagens, aliás você é a elite e só se dá bem. Que viva México!''

Isso é bem verdade, aliás, é um traço comum em todas as nações latino americanas, menos no Brasil. Somos tão tongos que copiamos tudo de ruim lá fora, enquanto isso nossos hermanos blancos e castizos, mantém a regra da supremacia racial em suas nações e não acham que tem de dar satisfações a nenhum pseudo moralista anti científico.
Teria sido melhor se tivêssemos sido colonizados por espanhóis.

Mr X disse...

"Se odeiam pq?"

Bem, eu não sei se se odeiam, mas não se vêem com muito em comum. Os cubano-americanos tendem a ser mais brancos e votar Republicano, são basicamente os descendentes da elite cubana que fugiu depois que Fidel tomou o poder. Os mexicanos são o contrário, a classe baixa do México que vota Democrata.

Mr X disse...

"filme das Patricinhas de Beverly Hills, um reduto de drogados e idiotas white trash de colarinho branco."

Agora está tão ruim que nem white trash tem mais, e em Beverly Hills são todos iranianos, kkk.

Brinco, tem alguns vagabundos drogados sem-teto brancos, sim. Quanto aos hippies, em LA não há, mas acho que ainda tem alguns em San Francisco.

AF disse...

"Por causa disso, a classe média branca está lentamente indo embora da Califórnia para o Texas, onde há menos impostos e o custo de vida é mais baixo. O problema é que o Texas está também lotado de hispânicos, então em poucas décadas é possível que o processo se repita por lá também, ainda mais com os ex-californianos brancos tornando o estado do Texas mais liberal. É o eterno processo: brancos burros gostam de progressismo, brancos burros progressistas facilitam a entrada imigrantes ilegais, imigrantes ilegais são pobres e dependentes do governo, o governo local Democrata aumenta os impostos para ajudá-los, a vida piora, os brancos burros progressistas Democratas se mudam para outro Estado, onde repetem o processo."

Como falei lá no Roberto Cavalcanti, essa pobreza é perfeitamente comparável ao câncer e câncer costuma ir para outras regiões do corpo através das metástases.

Quando a gente estuda sobre o câncer, vemos também que existe os agentes cancerígenos, que podem serr fumaça, poluição, produtos tóxicos, má alimentação, etc., e numa sociedade os agentes cancerígenos são essas ONGs de direitos humanos dos bandidos, a mídia, a esquerda... são agentes poderosos que fazem a sociedade ficar do jeito que está.

autor desconhecido disse...

''Agora está tão ruim que nem white trash tem mais, e em Beverly Hills são todos iranianos, kkk.
Brinco, tem alguns vagabundos drogados sem-teto brancos, sim. Quanto aos hippies, em LA não há, mas acho que ainda tem alguns em San Francisco.''

E pra onde foram?
Woodstock?

Anônimo disse...

Como se faz um teste genético ? será que no Rio tem ?

Mr X disse...

Teste genético tem no Rio, mas também tem companhias americanas que mandam para todo o mundo e talvez sejam mais confiáveis. Tem um da National Geographic que é internacional. Acho que o DNATribes também é. Mas custam ao redor de duzentos dólares. Não é bem "teste genético", é uma análise parcial do DNA com marcadores feita através de um chip. Dá uma idéia sempre apenas aproximada de sua ancestralidade.

Abs.

Direita disse...

Pois é, eles até tem uma categoria "White Hispanic", que nem sei bem o que é. Acho que se refere a latinos que se autoclassificam como brancos, embora nem todos sejam. Zimmerman foi definido por alguns como "White Hispanic", por exemplo.

é por ai.


É verdade que no censo árabes e médio-orientais em geral também contam como brancos, mas aí, acho que até tem certa razão. Steve Jobs não é branco, por acaso? No entanto é de origem síria.

o pai de jobs é exceção .



Direita disse...

Quanto à Cameron Diaz, jamais a vi como hispânica, acho até que nem fala espanhol. Sim, o pai dela é de origem cubana, mas fora isso, ela também tem antepassados ingleses e alemães.


cubana?!...pele foto que vi do mesmo s imaginava que ele seria de origem mexicana.